Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Faltou calma e concentrao

11 de Junho, 2018

Fotografia: JA Imagens | Edies Novembro

O empate nulo, imposto pelo Cuando Cubango FC ao Petro de Luanda, no sábado em Menongue, foi dos destaques da jornada que marcou a abertura da segunda volta do campeonato nacional. A formação tricolor tudo fez para regressar com três pontos e aumentar a pressão ao líder, mas os donos da casa contrariaram as pretensões dos visitantes.
No final da partida, o técnico - adjunto da formação da capital do país, Maurício Marques, manifestou-se conformado com o resultado. Em declarações à Imprensa, disse que a equipa fez um jogo muito bom, principalmente, na segunda parte em que teve duas claras oportunidades para o golo, “que infelizmente não concretizou”, observou.
Acrescentou, que se a equipa fosse mais concentrada, no momento de finalização, levava os três pontos. “Se tivéssemos mais calma e concentração para finalizar, com certeza teríamos os três pontos do dia de hoje”, reconheceu.
Disse mais adiante, que o resultado não fazia parte do prognóstico dos petrolíferos. “O Petro busca sempre a vitória, não importa dentro ou fora de casa, mas valeu o ponto e está de parabéns a equipa do Cuando Cubango, que fez também uma boa partida”, sublinhou.
Do lado da equipa da casa, o treinador principal, Abel da Conceição, considerou o empate frente ao Petro de Luanda um desfecho com sabor a vitória, por ser um adversário que é crónico candidato à conquista do título.
“Na impossibilidade de conquistar os três pontos, o empate é sempre melhor”, explicou que a sua equipa criou algumas situações de golo, mas não as concretizou.
Por isso, afirmou, para não repetir o erro do jogo da 15ª jornada, em que a sua equipa perdeu por 0-1 com o 1º  de Agosto, em que “sofreu o golo depois dos 75 minutos, preferiu prevenir melhor o sector defensivo, para evitar sofrer o golo”, destacou.