Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ferrovirio pronto para Segundona

10 de Julho, 2017

Locomotivas regressam segunda diviso nacional 25 anos

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

O Ferrovia do Huambo perdeu sábado, no seu reduto, diante do 1º de Maio de Benguela, por 1-0, na apresentação do seu plantel que, a partir desta semana, começa a disputar o torneio de apuramento ao Girabola.

O golo dos \"proletários\", que estão na 11ª posição do Girabola ZAP, foi marcado por Bugos, aos 14 minutos, numa partida bem disputada do começo ao fim, embora os visitantes tenham se apresentado com jogadores pouco utilizados.

Com uma média de 25 anos de idade, os destaques do plantel dos \"locomotivas\", que regressam à segunda divisão nacional 25 anos depois, são o defesa central Amândio (ex-Desportivo da Huíla), os laterais Yosi (ex-JGM), My (ex-FC Bravos do Maquis), o avançado Trezol, proveniente da República Democrática do Congo, os médios Carlos, ex-Sporting de Cabinda, e Tchony, que em 2012 jogou no Benfica do Huambo.

A estes juntam-se os guarda-redes Aruna, Forofa e Estêvão, os defesas Jajão, Mifiri, Simão, Yuri, Smith, Canjila, Mauro, os médios Gildo, Josias, Tchaba, Nhã, Carlos, Bucho, Nelito, Tchuna e Jeovany, os avançados Tity, Katiqui, Julay, Elias, Trezol e José Ronaldo. A equipa vai ser orientada por Horácio Afonso “Libengue”, coadjuvado por Albano Afonso.

O presidente do clube, Adriano Marques Katito, disse estarem criadas as condições técnicas e administrativas para que o conjunto participe no torneio de apuramento à I divisão, sem qualquer sobressalto.

O Ferrovia do Huambo está na série B, com o Jackson Garcia de Benguela, Evale do Cunene, Victoria do Bié e Casa Militar do Cuando Cubango.

Fundado a 1 de Dezembro de 1930, o conjunto deteve, até meados da década 1970, hegemonia no futebol e possui património infra-estrutural, onde se inclui o Estádio Kurikutela, sede social e centro de estágio.