Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Firme no comando

Jorge Neto - 14 de Março, 2019

O adversrio tentou complicar os intentos dos pupilos de Dragran Jovi

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

Sem fazer um jogo por ai além o 1º de Agosto teve de se aplicar ao fundo, ontem, para arrancar a vitória por 0-1 sobre a formação do Santa Rita de Cássia, nunca virou a cara à luta e foi superior em grande parte do desafio. Mabululu, aos 75´,  ditou o triunfo para o conjunto rubro e negro quando se aguardava por um final dramático para os tricampeões.
Diante de um adversário motivado em casa, os agostinos tiveram de suar para conseguir sair do estádio 4 de Janeiro com os três pontos, pois, o adversário complicou em demasia os intentos dos pupilos de Dragran Jovic, que desde já, sabiam das dificuldades que iriam enfrentar nas terras do Bago Vermelho.
O Santa Rita comandou as operações em campo, assumiu as rédeas do jogo e foi quem mais rematou à baliza, embora a maior parte das tentativas não levassem o perigo às redes à guarda de Tony Cabaça.
Depois da goleada aplicada sobre a formação religiosa na primeira volta do Girabola Zap, por sinal a maior da competição até ao momento, 5-0, no estádio 11 de Novembro, e após os 4-0 infringidos ao ASA na ronda anterior, era expectável que fizessem uma melhor exibição diante de um adversário que luta pela permanência na prova.
Do lado dos militares os remates não incomodavam a baliza de Benvindo, pois, Buá, Mário, Mongo e Kila apresentaram uma pontaria fora do alvo. Pelo contrário, os religiosos encararam o visitante olho nos olhos e começaram a incomodar mais Tony Cabaça.
Com o pensamento virado de forma exclusiva para a vitória, os rubro e negros estavam conscientes que tinham de fazer algo mais para mudar o rumo dos acontecimentos, sob pena de falhar o objectivo, dado o atrevimento da formação da casa, apoiada pelos seus adeptos e não só, pois, os do arqui-rival, Petro e Luanda também estiveram nas bancadas para contrapor o favoritismo dos militares.
 Foi com esta intenção que, no segundo tempo, Dragan Jovic alterou as suas peças e, após alguns minutos de jogo, esgotou as três substituições, lançando apenas jogadores ofensivos Dago, Ary Papel e Aquino, que, apesar de não marcar, mudaram a atitude atacante da equipa, impedindo também que os defesas adversários ajudassem nas jogadas ofensivas.
Com o crescimento dos agostinos, o golo surgiu, de forma natural, aos 75´, por Mabululu, numa jogada finalizada com mérito pelo avançado, que somou o nono tento no campeonato nacional e líder dos artilheiros da equipa.
O árbitro José Maxia esteve bem ao deixar passar uma grande penalidade a favor do 1º de Agosto, pois, o defensor do Santa Rita tinha o braço junto ao corpo após o cruzamento de Mongo. O juiz realizou um trabalho regular, sem influência no resultado final, embora tenha deixado passar em branco um gesto de indisciplina, com uma admoestação a Tony Cabaça por ter cuspido na face de um adversário no primeiro tempo.