Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Garcia assume favoritismo no jogo com Cala

07 de Maio, 2018

Esta debilidade pode ser aproveitada pelos visitantes, para brilharem em Luanda, aproveitar a capacidade de recuperao dos atletas com velocidade.

Fotografia: DOMBELE BERNARDO | EDIES NOVEMBRO

A equipa da Académica do Lobito e a do Recreativo da Caála jogam hoje a partir das 15h30 no Estádio do Buraco, na continuidade da 14ª jornada do campeonato nacional. Com o favoritismo a tender para os lobitangas, a formação do Huambo pretende contrariar os intentos dos donos da casa.
Os estudantes continuam ânimo devido as boas notas,  num dos seus melhores arranques  de época no Girabola, estão apostados em vencer a partida e continuar na \'cola\' dos líderes.
O registo na condição de visitado joga a seu favor. Em cinco jogos disputados, não perdeu nenhum. Talvez não fosse arriscar, se disser que os comandados de Rui Garcia estão a encantar e a surpreender muito boa gente. Para uma equipa, que na época passada \"ameaçou\" desistir da prova, a sua campanha até ao momento é obra. 
A Académica, apesar do seu plantel ser jovem, tem jogo de futebol adulto. Com boa visão, certeza de passe e capacidade de pressão ao adversário. Os atletas têm demonstrado muita atitude e confiança em campo. 
O Recreativo da Caála desloca-se ao Lobito, ciente das dificuldades que vai encontrar, mas confiantes em contrariar ao máximo a pretensão dos donos da casa. Hoje, como único representante do Huambo no Girabola, após a desistência do JGM, o CRC joga pelo orgulho da província.
O Kabuscorp do Palanca, abalado com a perda de seis pontos no campeonato nacional imposto pela FIFA, recebe na quarta-feira o Maquis às 16h00 no Estádio dos Coqueiros, um jogo de campeões e com desfecho imprevisível. 
A equipa de Bento Kangamba, com a penalização devido à dívida com o ex-internacional brasileiro Rivaldo, para lograr o objectivo traçado para esta época, está proibido de falhar. O factor casa confere-lhe relativa vantagem, mas vai ter de provar em campo.
Ainda assim, nem tudo são vantagens para os palanquinos. Se em termos de transições ofensivas a equipa orientada por Sérgio Traguil é rápida, e surgem com muita frequência, na compensação é lenta.
Esta debilidade pode ser aproveitada pelos visitantes, para brilharem em Luanda,  aproveitar a capacidade de recuperação dos atletas com velocidade nos vaivéns, que sustentam as manobras ofensivas da estratégia montada por Ekram Asma.