Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Geraldo em dvida no jogo com o Kabuscorp do Palanca

Jorge Neto - 12 de Outubro, 2016

Mdio ofensivo do 1 de Agosto aguarda aval mdico

Fotografia: Jos Cola

O médio ofensivo do 1º de Agosto pode falhar o jogo com o Kabuscorp do Palanca, no domingo, às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, referente à 27ª jornada do Girabola Zap. O atleta militar é peça preponderante no esquema táctico do plantel, orientado por Dragan Jovic, está condicionado devido à lesão contraída na visita ao 1º de Maio, no sábado.

O jogador não participou nos dois primeiros treinos da semana, na segunda e terça -feiras, constitui preocupação para o corpo clínico que espera recuperar o reforço desta época, a tempo de defrontar os palanquinos.

 O camisola 11 dos líderes do campeonato nacional, autor do segundo golo na vitória por 3-1, não terminou o jogo pois foi de imediato  substituído, e neste momento é a grande preocupação da equipa.

O médio ofensivo notabilizou-se ao serviço da formação do Curitiba do Brasil, está a realizar a primeira época no Girabola Zap, apesar de ser formado na Escola Norberto de Castro e mostrar rápida adaptação ao futebol nacional, como justificam  os sete golos rubricados até ao momento.

Nos últimos três desafios, Geraldo marcou dois golos de penáltis, diante do Porcelana FC para a 24ª jornada e 1º de Maio de Benguela a contar para a 26ª, repartiu a tarefa com Ary Papel que cobrou o livre dos onze metros frente ao Desportivo da Huíla na 25ª ronda. O canhoto militar é actualmente o terceiro melhor marcador da equipa, atrás de Ary Papel com oito golos, e de Gelson com 20 tentos, o artilheiro do campeonato.

O jogador assinou contrato por duas épocas, e a par do guarda-redes Dominique  são os únicos totalistas no plantel rubro - negro no Girabola Zap, utilizados pelo técnico bósnio Dragan Jovic. Geraldo, apesar da enorme concorrência nas alas do plantel agostino,  conquistou a confiança da equipa técnica e está a corresponder com a aposta no onze inicial.

O Jornal dos Desportos apurou que nada ainda está definido, quanto à presença ou não no derby das multidões, e de capital importância para os objectivos que perseguem, frente ao Kabuscorp do Palanca. Os próximos dias são determinantes para o Drº Abel Sanz definir se o médio ofensivo é ou não disponível para integrar os trabalhos da equipa, e deixar à consideração da equipa técnica sobre a sua utilização.

Numa altura em que se aproxima a passos largos o final do campeonato, o técnico Dragan Jovic pretende que todo o plantel esteja disponível para ajudar a conquistar o tão anseado título, 10 anos depois.

SECTOR ATACANTE
Militares atentos à finalização

As jogadas ofensivas protagonizadas pelo ataque da equipa do 1º de Agosto e não concretizadas, por falta de eficácia dos seus atacantes e dos médios ofensivos, continuam a preocupar a equipa técnica. Dragan Jovic e seus colaboradores estão cientes e preocupados com esta debilidade, e tudo fazem para que nesta ponta final e decisiva da prova consigam inverter o quadro.

Os treinadores assumem que a finalização é dos "calcanhares de Aquiles", daí, trabalharem com muita atenção e uma certa insistência neste pormenor, com o qual, naturalmente, ganham-se os jogos. Os jogadores rematam muito, mas o enquadramento com a baliza não está a ser dos melhores, comprovado mais uma vez no clássico com o 1º de Maio, em que a equipa apesar de marcar três golos pecou muito na finalização.

A estatística mostra que o conjunto militar fez no total 20 remates, destes, só quatro foram à baliza. Ou seja, no primeiro tempo, foram 12 remates com dois dirigidos à baliza e no segundo tempo oito remates com dois bem enquadrados.

Apesar dos números apresentados, neste embate, os líderes do campeonato melhoraram no acerto à baliza contrária, nas últimas três jornadas.  No total são nove golos em três jogos, uma média de três tentos por partida.

Na 24ª jornada frente ao Porcelana FC do Cuanza Norte (1-2), na 25ª diante do Desportivo da Huíla (1-4) e na 26ª frente ao 1º de Maio de Benguela (1-3).

O rendimento positivo dos rubro - negros abre boas expectativas para às quatro jornadas que restam para o final do Girabola Zap, em que estão obrigados a ganhar para manter a diferença de três pontos sobre os dois mais directos perseguidores, Recreativo do Libolo e Petro de Luanda, respectivamente.
JN

ÚLTIMAS JORNADAS
“Estamos a precisar
de alguns pontos”


Na perspectiva de obtenção de resultados positivos pretendidos, Ivo Traça decretou tolerância zero para os jogos que a equipa tem a disputar  até ao término da prova, os quais qualificou de autênticas finais. Por isso, para vencer de forma a conquistar os pontos necessários a assegurar a permanência na prova, o treinador acha que é  uma tarefa difícil, mas não é impossível, pelo que o técnico reiterou ontem a aposta no trabalho redobrado.

 “Estamos a precisar de pontos, e por isso, cada um dos jogos que temos por disputar daqui em diante,  será uma autêntica final. É necessário ganhar todos esses jogos. Não interessa a qualidade e especificidade dos adversários, porque as finais são para serem ganhas”, decretou determinado o técnico da equipa afecta à Região Militar Sul.