Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Germano quer marcar ao Petro

J?lio Gaiano/ no Lobito - 15 de Setembro, 2017

Camisola 19 dos estudantes lobitanga fez um hat-trick no jogo diante do Santa Rita de Cssia

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

O médio-ofensivo da Académica do Lobito, Germano, carrasco do Santa Rita de Cássia do Uíge, no jogo passado, em que marcou três dos quatro golos da vitória, promete tudo fazer para ajudar a equipa a vencer o desafio diante do Petro, em Luanda, no sentido de manter activa a luta pela permanência no Girabola Zap. O jogador acredita na possibilidade de marcar, caso mereça a confiança do técnico, no duelo com os tricolores.

“Este é um dos jogos em que qualquer atleta gostaria de participar. O Petro é uma equipa de prestígio, por isso, faz todo o sentido nos regozijarmos em defrontá-lo. Se merecer a confiança do ‘mister’, tudo farei para, no mínimo, marcar um golo e garantir a vitória da equipa que precisa de pontos para se livrar da zona vermelha em que se encontra”, garantiu.

O jovem atleta sondado pelo técnico António Alegre, na então formação do Girabairro, os Flamingos da Caponte do Lobito (agora filiado na APFB), reconhece ser muito difícil, mas não impossível, vencer ao Petro no seu reduto, bastando para isso, cultivar o espírito de luta e crença na vitória no seio do colectivo. Na sua óptica, a equipa tem de se apresentar coesa e determinada a enfrentar as adversidades que possam surgir no decurso de contenda.

“Somos uma equipa pequena e com os objectivos modestos. Por isso, para enfrentar o Petro vai ser preciso jogar a ‘bola-redonda’. Isto é, procurar no mínimo não complicar, pois, uma falha pequena que seja, pode ser fatal para as nossas aspirações. Afinal, o Petro não é uma equipa qualquer, sabe jogar nos erros dos adversários e acabar com a festa”, lembrou.

O médio-ofensivo escusou-se a falar sobre a exibição que patenteou no jogo diante do Santa Rita de Cássia do Uíge, em que rubricou três golos, dos quatro, que ditaram o triunfo da sua equipa. Na óptica de Germano, o jogo em questão já faz parte do passado e que as atenções, agora, estão centradas no desafio de amanhã ante o Petro de Luanda. A Académica do Lobito ocupa a 12ª posição da classificação geral, com 24 pontos, acima do Atlético Sport Aviação (23), JGM do Huambo (21), Progresso da Lunda Sul (19) e Santa Rita de Cássia do Uíge (16). Em caso do triunfo, os estudantes de Silvestre Pelé podem ascender para a 11ª posição com 27 pontos e ultrapassar o FC Bravos do Maquis (25), isto, em caso de essa formação perder no encontro com o Sagrada Esperança.


HISTÓRICO
Vitória de 2015
galvaniza equipa


O grande momento da Académica Petróleos do Lobito nos duelos com o Petro de Luanda aconteceu na temporada de 2015. Os estudantes treinados na altura por Ekrem Asma, actual treinador do Sagrada Esperança, fizeram o pleno ante os tricolores. Ou seja, vitória na primeira e segunda volta.

No jogo da primeira volta, por sinal a última vez que a Académica venceu, na deslocação a Luanda, o resultado foi 3-1, contra todas as expectativas, e no duelo de resposta, no Lobito, ganhou por 1-0. 

Por isso, segundo os estudantes, tudo pode acontecer, a julgar pelo factor surpresa, aludem os jogadores, treinadores e adeptos contactados pelo Jornal dos Desportos a respeito desse encontro que pode alterar as contas dos referidos contendores, atendendo os objectivos preconizados.

No desafio da presente temporada, realizada no estádio do Buraco, isto é, na primeira volta, a formação treinada pelo professor José Silvestre Jorge “Pelé” queixou-se dos erros da arbitragem que, na sua óptica, influenciam no desfecho do resultado que favoreceu a formação petrolífera da cidade capital (0-2).

Os atletas, técnicos e dirigentes do grémio lobitanga acreditam que, desta vez, as coisas venham a ser diferentes, augurando que o vencedor seja aquele que melhor se apresentar em campo.

Jogo de importância capital com tricolores
Estudantes mostram confiança


A Académica Petróleos do Lobito prepara-se de forma afincada para defrontar amanhã, às 16h00, no estádio 11 de Novembro, o Petro de Luanda, em desafio pontuável para para 25ª jornada do Girabola Zap2017. O encontro é revestido de capital importância para os estudantes que prometem “atrapalhar” os intentos dos tricolores, derrotados no duelo passado, diante dos militares.

O resultado negativo (0-1) diante do 1º de Agosto está a provocar “estragos” nas hostes do grémio do Eixo Viário que, agora, se vê na obrigação de vencer todos os jogos que restam para término da prova. Por isso, espera não perder na recepção à Académica do Lobito que vem de um triunfo moralizador, cilindrou o Santa Rita de Cássia FC por quatro bolas sem resposta.

Galvanizados com este resultado, técnicos, atletas e dirigentes afecta à formação lobitanga prometem não mais ceder pontos, o que dificulta ainda mais a tarefa dos tricolores  que terão de suar bastante se quiserem vencer o desafio. Aliás, para os lobitangas em causa está a sua luta pela sua sobrevivência na mais alta-roda do futebol nacional.

Numa abordagem efectuada com alguns jogadores e membros da equipa técnica, deu para notar a disposição e confiança pela conquista dos três pontos, apesar de reconhecerem o poderio do Petro que apesar de atravessar momentos de aflição (não vai poder contar com o seu técnico no banco de suplentes) pode transfigurar-se e, se possível, vender caro a derrota.

“A princípio, o Petro de Luanda tem tudo a seu favor para ganhar o jogo. Para além de ser um dos potenciais candidatos ao título, vai contar com o apoio do seu público. Ainda assim, estamos precavidos e cientes das dificuldades que nos espera.

O jogo vai ser difícil, não só para a Académica. O Petro também vai experimentar as mesmas dificuldades. Até por que já deu mostras que pode ser derrotado no seu reduto. A história confirma isso mesmo e pode repetir-se”, comentou o técnico-adjunto da Académica do Lobito, Francisco Júnior Paulino.  
J G