Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Gerson sem divisas

GAUDNCIO HAMELAY | NO LUBANGO - 31 de Maio, 2018

Maria Chipalavela enaltece feitos de Gelson Emiliano e encoraja a realizar um bom trabalho .

Fotografia: ARIMATEIA BAPTISTA | EDIES NOVEMBRO

O árbitro-assistente internacional angolano, Jerson Emiliano dos Santos, seleccionado para o Campeonato do Mundo da Rússia 2018, a disputar-se de 14 de Junho à 15 de Julho, afirmou após o encontro com a vice-governadora da Huíla para o sector social, político e económico, Maria João Chipalavela, que está com dificuldades de adquirir divisas, para seguir viagem. 
“A maior dificuldade está na política existente em alguns bancos, já tenho o cartão BAI activado, estou a aguardar a resposta do BFA, que tem alguma política na aquisição das divisas, uma vez que o Lubango não pode decidir. Penso que o documento está a nível de Luanda. Estou à espera que seja autorizado para que as divisas estejam disponíveis”, explicou.
 Durante o acto a governante considerou o jovem huilano de 34 anos de idade, licenciado em Matemática, pelo Instituto Superior de Ciência de Educação (ISCED), Huíla, uma valência com competências e habilidades na arbitragem que lhe permitiram atingir o patamar onde chegou. Encorajou-o a realizar um trabalho que dignifique o país em especial o continente de um modo geral.
A dirigente sublinhou que a ida do assistente internacional angolano para o mundial é também uma referência para a juventude. “É uma grande satisfação para nós e por esse facto acho que devíamos encoraja-lo, dar-lhe a nossa força e estimula-lo para que tenha assim um bom desempenho no mundial de futebol da Rússia”, ressaltou.
 Reconheceu que a prática desportiva deve fazer parte das vidas das pessoas por trazer benefícios a saúde humana. “Por este facto, somos defensores de que o desporto dá saúde, o desporto deve fazer parte das nossas vidas e que devemos também olhar para a sua profissionalização”, frisou.
 Maria João Chipalavela referiu que na Huíla existe muitos Jerson Emiliano dos Santos a despontar na arbitragem, porém, precisam de oportunidades e espaço para atingirem também grandes patamares. Sublinhou que espera uma boa prestação e consiga evoluir positivamente, e que possa ir mais longe.
Destacou que o árbitro assistente Jerson Emiliano dos Santos está na área do desporto, mas há muitos outros jovens que se dedicam a investigação científica e trazem inovação. Usam a sua criatividade e que continuam muitas vezes sozinhos para alcançarem os seus sonhos. “Por isso, tivemos esta ideia de nos juntar e homenagear com despedida do sonho de Jerson no desporto”, destacou.
 A governante pediu encarecidamente as entidades que superintendem o desporto no país e não só a ajudarem o árbitro assistente internacional a ultrapassar algumas dificuldades que está a atravessar que dizem respeito a aquisição de divisas para sua deslocação no local da competição.
  Por último, considerou a participação de Jerson Emiliano no Campeonato do Mundo, um grande ganho para toda nação angolana e a província da Huíla em particular.
 Na cerimónia de cumprimento de despedida presidida pela vice governadora para o sector Político, Social e Económico da Huíla, Maria João Chipalavela, estiveram presente os directores de gabinetes do governo provincial, administrador municipal do Lubango, Francisco Barros, director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Joaquim Barbante Tyova, entre outras individualidades.

HOMENAGEM
Dirigente regozijado com iniciativa

O presidente do núcleo de árbitros de futebol da Huíla, Romualdo Baltazar, manifestou a sua satisfação pela iniciativa  do governo huilano prestado ao Jerson Emiliano.
 “Estamos muito feliz e também agradecido pela homenagem que foi prestada ao Jerson Emiliano dos Santos. Isto quer dizer que o trabalho feito ao longo destes anos todos está a ser reconhecido”, enalteceu.
 Referiu que na qualidade de representante da associação de árbitros, sente-se regozijado com tal feito e espera que o árbitro assistente angolano demonstre com brio e isenção todo o trabalho que tem vindo a realizar e demonstrar o porque que mereceu a confiança do Conselho Central de Árbitros de Angola, da CAF e da FIFA.
 “É um jovem estudioso e está sempre a pesquisar. Nunca quer parar naquilo que tem. Quer sempre mais no bom sentido. É um jovem que não mede esforços e não vê momentos de repouso, para poder atingir os seus objectivos”, destacou.
 “Temos que começar a trabalhar e a pensar no futuro porque neste momento estamos todos a olhar para o Jerson Emiliano dos Santos,  a nossa alegria e orgulho. Mas temos que começar já a trabalhar nas camadas mais jovens para que apareçam outros com a mesma qualidade, não apenas um, mais vários para que possamos estar representados noutros campeonatos do mundo”, perspectivou.
 Romualdo Baltazar lembrou que trabalharam sempre juntos e um dos objectivos foi atingirem grandes patamares na arena internacional. “De princípio éramos três, mas o primeiro ficou porque não conseguiu entrar para os quadros de arbitragem da FIFA e desistiu”, recordou.
“Nós continuamos a trabalhar e o nosso objectivo foi de que um de nós tinha de chegar ao mundial. E ai está. Eu fiquei e ele (Jerson Emiliano dos Santos continuou. Esta aí o nosso projecto. É um projecto da Huíla, projecto de Angola e de África. Está ai para consumir e vamos ver até onde vai dar”, salientou.

HOJE
 Ministra recebe árbitro assistente

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, recebe hoje, às 9h30, na sede da instituição que dirige, a despedida do árbitro assistente Gerson Emiliano,  único angolano que vai ao mundial da Rússia, que arranca no dia 14 de Junho e termina no dia 15 de Julho.
 Aquando da indicação do árbitro pela FIFA, já a  ministra da Juventude e Desportos, havia se congratulada pelo facto, tendo, na altura, sublinhado que \"seremos mais de vinte e quatro milhões a torcer pelo sucesso do nosso compatriota. Bem haja a arbitragem nacional\".
Jerson Emiliano terá o privilégio de ajuizar como assistente, para além de outros africanos como o  marroquino Redouane Achik; o sudanês Soudanais Waleed Ahmed; o burundês Jean-Claude Birumushahu; os senegales Djibril Camara e El Hadji Malick ;o argelino Abdelhak Etchiali; o tunisino Anouar Hmila; o queniano Marwa Range e o sul-africano Zakhele Thusi Siwela, que tudo vão fazer para dignificar a arbitragem continental.                                                                                     
Será outra oportunidade para o angolano acompanhar e aprender com o trabalho dos árbitros africanos principais que actuarão na Rússia, nomeadamente o gambiano Bakary Gassama , o argelino Mehdi Abid Charef (37 anos, que é o mais jovem), o senegalês Malang Diedhiou (44 anos, mais adulto), o egípcioGhead Grisha (42 anos), o zambiano Janny Sikazwe (38 anos) e o etíope Bamlak Tessema Weyesa (38 anos).
A.FÈLIX