Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Girabola aguarda pela homologao

Antnio Jnior - 16 de Novembro, 2017

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

Terminou a época futebolística de 2017. Os dois maiores clubes  de Angola fizeram às honras da casa, num jogo sem grandes recortes técnicos e brilharetes, mas bastante emotivo e expectante, que serviu para encerrar as cortinas.
Enquanto aguarda-se pela homologação do Girabola Zap, resta-nos parar para reflectir, analisar, ver feitos e defeitos, e questionar se houve realmente verdade desportiva.
Se para uns sim, para outros não e existem ainda os que preferem esperar para crer, o que é normal quando se trata de avaliar comportamentos, atitudes e acções das pessoas que dirigem certas instituições.
Durante sensivelmente nove meses ninguém ficou indiferente a maior prova do futebol nacional, não fosse esta modalidade indubitavelmente a mais popular em todo o mundo, aquele que bem jogado é um espectáculo verdadeiramente fabuloso.
Se alguém um dia teve a coragem de dizer que o nosso futebol é uma mentira, será que esta mentira ainda não passou para verdade? Com os “problemas” que aconteceram e outros que ainda existem, podemos considerar ou avaliar que o campeonato nacional foi uma mentira?  a ver vamos.
As constantes lamentações e choros de alguns clubes, que por iniciativa própria conta e risco, assumem o desafio de entrar na maior montra do desporto rei no país e depois vêm com lamentações pelo facto de possuírem um orçamento reduzido permitindo apenas pensar na manutenção, levando inclusive a registarem-se faltas de comparências, ferindo a verdade desportiva.
Ainda assim, nem tudo esteve mal. Os adeptos de certeza que uns estão felizes e outros tristes, mas de uma coisa podem ter a certeza, apesar do momento menos bom que o futebol angolano enfrenta, o facto de termos chegado a três jornadas do fim com a decisão do título e as equipas despromovidas na incógnita, é um grande ganho.
Uma palavra de apreço aos árbitros, habituados a pressões. Se muitos apresentaram-se serenos e procuraram abstrair-se das constantes tensões outros não conseguiram esconder a responsabilidade que recaia sobre si em determinadas partidas.
Contudo, é importante que fique bem claro que quando se aumentam as preocupações, a responsabilidade não pode ser posta de parte e deve ser ainda maior. Por isso, aguardamos expectantes pela homologação do Girabola Zap 2017.