Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Girabola ainda sem chama

Daniel Melgas, no Luena - 19 de Fevereiro, 2018

FC Bravos do Maquis vence e confirma supremacia diante do Recreativo do Libolo no Mundunduleno

Fotografia: Edies Novembro

O FC Bravos do Maquis voltou à superiorizar-se pela segunda época consecutiva nos jogos em casa diante do Recreativo do Libolo. Ontem os maquisardes, numa tarde de fulgor conquistaram a primeira vitória na prova e nada melhor que diante do seu público.
Com um jogo aberto, em que ambas as equipas procuraram soluções para chegar à área adversária, os anfitriões encurtaram o espaço e o tempo de manobra aos pensadores de jogo do adversário, obrigando a formação de Calulo a perder a concentração.
Com o Libolo a falhar demasiados passes, o Maquis dominava a partida e com o apoio da sua massa associativa teve sempre mais qualidade com a bola, dominado por isso o jogo, apesar de que sem uma avalanche de oportunidades de golo.
Com esta disposição a equipa orientada por Zeca Amaral adiantou-se nas jogadas perigosas, com o médio Zeca a ficar no “quase”, quando aos 7minutos atirou rentinho para o travessão da baliza de Wilson, ao aproveitar um cruzamento acrobático de seu companheiro Diawara.
Com espectáculo e “clareza” do jogo a mistura, o Libolo respondeu com um cabeceamento de belo efeito, por intermédio de Paizinho. Atento ao lance, Dadão recordista da baliza maquisarde (defendeu 30 jogos em 2017, batendo o record de Kizamba de 25 encontros) defendeu sem problemas.
O ímpeto ofensivo das duas equipas aumentou e num contra-ataque rápido, Diawara recebe um passe do meio campo de seu companheiro Chico e este, por sua vez, percorre todo o flanco direito, terminando com um cruzamento \'mortal\': na grande área dos visitantes. O defesa Kitenga subiu mais alto e bateu Wilson, aos 28´, deixando em delírio, o estádio.
Seguiu-se uma fase de subida constante da equipa do Cuanza Sul que fixou-se no meio campo dos visitados a procura do golo da igualdade, numa tarde muito quente. Mas, foi sol de pouca dura, pois, os libolenses falhavam na compensação defensiva e deixavam brechas.
A debilidade defensiva dos comandados de Kito Ribeiro ficou patente quando, o suspeito de costume, Diawara, “rasgou” o mesmo flanco de que deu o primeiro golo e fez novamente um cruzamento milimétrico. Sem marcação, Gazeta, aos 41 minutos, teve tempo de “matar” a bola no peito e atirou para o fundo da baliza, ampliando para 2-0.
Na segunda parte às equipas efectuaram várias substituições. O Libolo jogou na antecipação e fez entrar Ayala e Mariano, atletas que atarefaram a defesa contrária, porém, insuficiente para chegar ao golo. A equipa da casa respondeu com a entrada de Norberto para conter às investidas do adversário.
Com o resultado controlado, o FC Bravos do Maquis, limitou-se a gerir a vantagem no marcador ante um adversário inconformado mas com poucas soluções para inverter o quadro ou no minímo reduzir a desvantagem no marcador.


Estádio municipal de Menongue
Cuando Cubango brinda adeptos


Numa partida em que às duas equipas jogaram mais com o coração do que a cabeça, em função dos objectivos traçados, o Cuando Cubango FC levou a melhor sobre o Domant FC do Bengo, e venceu por 2-0, no Estádio Municipal de Menongue, numa das partidas referentes ao prosseguimento da segunda ronda do Girabola Zap de 2018.
Os dois conjuntos protagonizaram um duelo bastante emotivo na primeira parte do desafio, facto que se traduz no equilíbrio dominante durante os primeiros quarenta e cinco minutos. Os atacantes dos dois conjuntos criaram diversas oportunidades, mas pecavam na finalização.
Destaque nesta partida entre duas equipas com objectivos modestos no Girabola Zap para o sempre irrequieto médio ofensivo Cabibi, do Domant FC do Bula Atumba. O atleta fez de si o que quis do seus defensores com realce para Xavier, que tinha a missão de o travar.
A divisão de forças observada no rectângulo de jogo, aliada ao rigor táctico montado por cada um dos técnicos, levou que os dois conjuntos fossem para o intervalo com um empate sem golo.
No reatamento os treinadores tentaram fazer os ajustes necessários às suas opções e quem melhor aproveitamento teve foi Abel da Conceição, que viu o seu esforço coroado com o golo apontado por Liliano, à passagem do minuto 55´. Após uma incursão do \'baixinho\', mas mexido lateral-direito Xavier, a equipa da casa adiantou-se no marcador.
Motivados pela vantagem, o Cuando Cubango FC voltou a mexer às redes defendidas por Alex aos 85´, ampliando o resultado para 2-0. O tento rubricado por Paulito, levou o Estádio Municipal de Menongue ao delírio, já que, nada mais havia para dar a volta ao desfecho. 
AUGUSTO PANZO, em Menongue