Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Girabola vai hoje a sorteio

Augusto Panzo - 28 de Dezembro, 2011

Girabola tem apenas 15 equipas confirmadas

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Federação Angolana de Futebol (FAF) realiza hoje, às 17h00, no Hotel Alvalade, o sorteio da 34ª edição do Campeonato Nacional Sénior Masculino da modalidade, referente à próxima temporada.

O acto será presenciado pelos representantes das 15 equipas já conhecidas (13 que disputaram o Girabola deste ano e duas que ascenderam à Primeira Divisão), bem como pelos representantes dos três clubes que ainda aguardam pelo desfecho do “caso” Paulino Macuva, relativo ao protesto apresentado pelo Desportivo da Huíla, e ao recurso interposto pela formação do Nacional de Benguela.

A rifa, que serve de pontapé de saída para a época futebolística de 2012, ocorre numa altura em que continua sem solução o “caso” Paulino Macuva, pois, até ao momento, nada de concreto transpirou quanto ao resultado final deste imbróglio.Deste modo, estarão presentes no acto os representantes das equipas do Recreativo do Libolo (campeão nacional), Kabuscorp do Palanca (vice-campeão), Interclube, Atlético Sport Aviação (ASA), 1º de Agosto, Petro de Luanda, Santos FC, Benfica de Luanda, Santos FC, Recreativo da Caála, Académica do Soyo, Atlético do Namibe, Sporting de Cabinda, e os dirigentes ou representantes das formações do Norberto de Castro, Nacional de Benguela e Desportivo da Huíla, os três conjuntos que se encontram directamente afectados pelo caso acima referido.

Com este acto, os amantes do desporto no geral, em particular da modalidade de futebol poderão já saber a partir de hoje como será disputado o Girabola de 2012, bem como o emparceiramento entre as equipas dos seus corações durante a temporada do próximo ano.

Inovação
A grande novidade de realce aqui, é o facto do sorteio da próxima temporada futebolística ser organizado pela empresa Zahara, Comércio SA, numa inovação que se espera que seja contínua e traga alguma vantagem em termos de organização de eventos do género.

Luvambo preocupado
com morosidade da FAF


O secretário-geral da Associação Provincial de Futebol de Benguela (APFB), Mário Luvambo, manifestou ontem a sua preocupação ao Jornal dos Desportos, pelo facto de, até agora a FAF não encontrar uma solução definitiva sobre o caso que opõe a equipa do Nacional de Benguela e do Desportivo da Huíla.Mário Luvambo lamentou o facto, tendo ainda avançado que tudo isso está a complicar as direcções dos dois clubes directamente envolvidos no caso, assim como o Norberto de Castro que, a todo o custo aguarda pelo adversário exacto na partida de repescagem.

“Estou preocupado com a falta de celeridade por parte da FAF, no que toca ao caso do protesto, assim como do recurso apresentados pelo Desportivo da Huíla e pelo Nacional de Benguela. Não sei de concreto o que se passa na federação, porque me parece haver algumas intenções camufladas”, afirmou o dirigente da APF de Benguela.Luvambo foi mais longe ainda, tendo recorrido a um exemplo claro, dizendo que as pessoas aprendem com os escritos dos livros, para aplicar na prática aquilo que aprendem.

“Os livros ensinam e as pessoas devem ajudar com aquilo que aprendem nos escritos dos livros, aplicando na prática os regulamentos todos inerentes ao bom funcionamento. Amanhã (hoje) é dia da realização do sorteio do Girabola de 2012, e continuamos a registar pendentes da temporada passada. Isto não é trabalhar a sério”, argumentou Mário Luvambo.

Metade do plantel do ASA
confirmado para nova época


A direcção do Atlético Sport Aviação (ASA) tem garantido a permanência de metade dos jogadores, maioritariamente antigos juniores, com vista a próxima época futebolística. Os aviadores, embora sem o plantel definido para 2012, abrem as oficinas no dia 16 de Janeiro, com a realização de testes médicos, seguindo-se depois os trabalhos de campo, sob orientação do técnico Ricardo Almeida.Devido a crise financeira que atravessa, que impede de ira ao mercado disputar o passe de atletas livres, a direcção do ASA vai recorrer à sua escola para reforçar o plantel principal.

Com a saída de Chora que rescindiu por justa causa, o lado esquerdo da equipa fica com um grande deficit. Outro sector que está a merecer muita atenção da equipa técnica é o ataque, pois com as saídas de Quinzinho e Bokungu, o grupo perdeu alguma consistência.
Como a componente financeira pode ser o principal obstáculo para aquisição de novos jogadores, a lista dos dispensados no ASA ainda não foi divulgada. Segundo uma fonte da direcção do clube, é provável que a equipa não dispense nenhum jogador.

Eis os jogadores já confirmados para 2012: Nuno, Neblu, Ângelo,  Silva, Debele, Papy, Anastácio, Matias, Mauro, Manuel, Meda, Ady, Tony Osódio, Ginaldo, Amarildo, Jajão. A equipa técnica, segundo a mesma fonte, vai promover cinco juniores para complementar o plantel, que será formado por 30 jogadores. Em relação a equipa técnica, José Diniz continuará no comando do ASA, assim como o adjunto Ricardo Almeida.   Valódia Kambata

 

Direcção do Desportivo aguarda
solução do caso Paulino Macuva



Em face da realização, hoje, do sorteio do Girabola´ 2012, a direcção do Clube Desportivo da Huíla manifesta imensa preocupação em relação ao caso "Paulino Macuva" que até ao momento ainda não conheceu o seu veredicto final. São passadas cerca de duas semanas desde que a referida direcção interpôs recurso ao Conselho Jurisdicional da Federação Angolana de Futebol em virtude de, na sequência do julgamento do caso da alegada má inscrição do atleta Paulino Macuva, do Clube Nacional de Benguela, o Conselho de Disciplina da FAF ter julgado improcedente.

Deste modo e em tempo útil a direcção do Clube militar da Região Sul manifestou o seu desagrado e deu entrada na secretaria do órgão reitor do futebol nacional o competente recurso que espera serem aclaradas todas as situações que evoca, apegando-se na utilização irregular de Paulino Macuva em algumas partidas do campeonato nacional de apuramento ao Girabola 2012.Carlos Manuel de Oliveira, director para o futebol do clube, que manifestou a preocupação, disse, também, que "há um misto de ansiedade e preocupação pelo tempo que arrasta este problema".

Para ele, o mais importante será “resolver o caso dentro dos padrões que a verdade desportiva exige".O dirigente m mostrou-se confiante de que "venceremos a causa" pois, tal como fez questão de frisar, "os factos falam por si e os regulamentos são claros (...)"
 Interrogado sobre os porquês da morosidade na resolução do caso, Carlos Manuel de Oliveira mostrou-se bastante cauteloso na resposta, argumentando que "trata-se de um processo complexo daí haver muita ponderação e atenção no julgamento das questões expostas à mesa para conformar com os regulamentos vigentes".

O que preocupa, nesta altura, o dirigente é sim "o facto de ter sido marcada a data para realização do sorteio para o próximo Girabola sem que o caso que nos envolve ao Nacional de Benguela fosse resolvido na última instância".Avançou que "vamos continuar a conservar calma e a esperança que tudo será resolvido à contento e a nosso favor". Neste particular, aproveitou para sublinhar que "se forem respeitados todos os princípios regulamentares e naquilo que está estipulado, o direito de disputar o Girabola do próximo ano, será nosso".

Deixou um aviso para que "não hajam influências extra-futebol a decidirem a resolução do caso mas seja, somente, a linguagem desportiva. Caso assim acontecer, estamos certos que seremos os donos da razão".Quanto à presença na reunião do órgão reitor que definirá o sorteio, Carlos Manuel de Oliveira, achou um paradoxo mas avançou que "acho que deveremos marcar presença todos. Nós, o Nacional de Benguela e a Escola Norberto de Castro". Em relação à desistência desta última, alegando relegar a disputa à subida ao escalão maior aos dois contendores, o dirigente do CDH não quis comentar, alegando apenas que "se a Escola desistir é porque acha que assim será melhor para eles já que não têm ambições de militarem entre os grandes do futebol nacional".

Aficionados
estão expectantes


No seio dos aficionados do futebol local reina também uma enorme ansiedade e insatisfação pelo facto de a FAF até ao momento não ter decidido a contento o caso "Paulino Macuva".Wilson André, por exemplo, sustenta que "é inconcebível como é que um atleta limpa cartões amarelos numa prova do escalão inferior e ainda assim demora-se tanto tempo para resolver uma questão que está clara aos olhos até dos leigos".

 Já para Manuel Neto, adepto do futebol, "a FAF tem a obrigação moral e jurídica para resolver o assunto antes mesmo do fim do ano para que não transporte para o ano de 2012 as coisas más". Para ele, "o CDH deve ganhar o recurso interposto e encerrar esta novela triste que tem estado a manchar o nosso futebol". Gilberto Manuel, por seu turno, manifestou a esperança de no próximo ano "ver o CDH representar o futebol local no Girabola". Afirma que "as evidencias são claras e, se a FAF for coerente e haver de facto verdade desportiva, o Desportivo ganha o caso porque Paulino Macuva foi sim utilizado de forma irregular (...)".

Norberto de Castro
também está à espera


Norberto de Castro, presidente da equipa da escola de futebol com o mesmo nome, disse ontem ao Jornal dos Desportos que continua a aguardar pelo pronunciamento da FAF sobre o “caso Paulino Macuva”, que faz com que, até neste momento, não se encontre o adversário do seu conjunto para a partida da liguilha.Comentando o facto, Norberto de Castro confessou ter sido aconselhado por elementos muito próximos de si, a não desistir de competir, tal como havia dito antes, o que o obrigar a mudar de decisão.

“Tivemos uma reunião com os outros componentes do meu clube, na qual as pessoas acharam que seria mau para nós, a equipa desistir do jogo de competência ou liguilha. E como ninguém vive só do seu pensamento, abracei o conselho e revoguei a minha decisão anterior”, disse o presidente do clube do bairro da Kapalanca, município de Viana.Norberto de Castro lança um repto, avisando que, se até ao dia 7 de Janeiro, o jogo não for realizado não terá outra solução, senão renunciar porque a sua paciência está a chegar no limite.

“Continuo a aguardar que se tome uma decisão em relação a esse caso. Para mim, se o jogo não se disputar até no próximo dia 8 de Janeiro, retiro-me da prova, porque isto está a ser muito desgastante para mim e para os próprios jogadores, quer do ponto de vista psicológico, quanto económico. Não posso continuar a aguardar por uma coisa que nunca chega. Isto cria transtornos nos programas pessoais de cada um”, lamentou.

A equipa da Escola Norberto de Castro foi a segundo classificado da série A do Zonal de Apuramento ao Girabola de 2012, o que lhe valeu o direito à disputa do jogo de repescagem para o provimento da terceira equipa a subir à prova maior de futebol do próximo ano.Na altura da homologação final da prova, a FAF foi confrontada com um protesto apresentado pelo Clube Desportivo da Huíla contra o Nacional de Benguela, ambos da série B, no qual a formação da terras da Chela reivindicava o direito de lutar pela terceira vaga, em detrimento do conjunto benguelense, por alegada má utilização de um jogador numa das jornadas da prova.Depois de averiguados os factos, o órgão competente da FAF considerou procedente o protesto do clube huilano, facto que não agradou à direcção da equipa do São Filipe, obrigando este a interpor recurso, que até hoje não encontra solução definitiva. A.Panzo.