Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Goleador do Girabola realiza trabalho especfico

Jorge Neto - 09 de Setembro, 2009

O médio-ofensivo do Petro Atlético de Luanda e melhor marcador do presente Girabola, David Magalhães, é nesta altura o único (doente) sob cuidados do departamento médico dos campeões nacionais que preparam limitados o desafio do próximo dia 19 do corrente, no Huambo, diante da formação da Caála para a 22ª jornada do Girabola. Os tricolores trabalham amputados em função do número de jogadores que estão ao serviço das várias selecções nacionais.
David está a contas com uma micro-ruptura no músculo da perna esquerda e tem realizado um tratamento específico para voltar aos relvados o mais breve possível, conforme avançou ao Jornal dos Desportos a fisioterapeuta Amélia Chanda.  
“O David tem uma micro-ruptura no músculo glúteo máximo do membro inferior esquerdo (perna), e está a fazer um tratamento à base de ultra-som, tens, laser-terapia, gelo e alongamentos”, especificou a fisioterapeuta dos tricolores.

FAVORÁVEL

Amélia Chanda garantiu que apesar disso, o melhor marcador da equipa e do campeonato apresenta um quadro satisfatório, mas somente o resultado da ecografia, efectuada ontem, poderá desvendar em que condição David se encontra neste momento e se poderá integrar ou não o grupo de trabalho.
“Ele está a evoluir bem, fizemos hoje (ontem) uma ecografia para ver se o quadro está evoluído com o fim de sabermos se ele pode ser enquadrado já no grupo ou se permanece ainda com o mesmo tratamento”, esclareceu a fisioterapeuta Amélia Chanda. Assim, caso o quadro se apresente favorável, o camisola 27 petrolífero e melhor marcador do Girabola poderá fazer as primeiras corridas ainda esta semana.
O artilheiro do Girabola, com 18 golos, lesionou-se no desafio da 21ª jornada, diante do Interclube, em que os petrolíferos venceram por uma bola sem resposta.

(Jogadores devem saber
tornear desejo pelo título)


Os jogadores do Petro de Luanda têm de saber tornear a ansiedade que possivelmente os rodeia quando falta muito pouco para o término do Campeonato Nacional. A afirmação foi feita ontem ao Jornal dos Desportos pelo técnico Bernardino Pedroto. 
“Temos que tornear essa pressão, essa ansiedade quando estamos num clube como o Petro. Temos jogadores valorosos, por isso é o clube que mais jogadores fornece à Selecção Nacional neste momento, o que mostra o valor destes atletas que são responsáveis”, disse o técnico português.
Pedroto avançou que a equipa está com uma grande atitude e espera que a mesma mantenha a mesma dinâmica até ao fecho do Girabola para que a revalidação do título aconteça.
“A equipa está com muita atitude. Temos que manter esta seriedade, sermos responsáveis, porque vamos jogar com equipas que estão na cauda da tabela e se relaxarmos poderemos ser surpreendidos. Os meus jogadores sabem que têm de trabalhar com a mesma humildade de sempre e com bastante determinação. Todos os jogos que fizermos será com o propósito de ganhar e não vou permitir que os meus atletas tirem o pé do acelerador”, rematou o técnico visivelmente satisfeito com o desempenho dos seus pupilos no presente campeonato.
O técnico tricolor esclareceu ainda que uma possível realização de jogos amistosos neste período de interregno do Girabola está dependente do regresso dos jogadores que estão ao serviço dos Palancas Negras e outros dispensados para as selecções de Sub-20 e Sub-23.
Por isso, Pedroto e seus coadjutores trabalham apenas com13 jogadores. Por este motivo, a equipa técnica tricolor dá mais atenção a vertente técnica-táctica e física. JN

Relvado de São Paulo
está em degradação acelerada



Algumas equipas de futebol da cidade capital do país podem se ver privados da utilização contínua do campo de São Paulo (grande), devido ao acentuado estado de degradação que a relva daquele recinto apresenta.
Para além da questão da relva, nota-se também alguns vestígios de inundação em distintas partes do mesmo, o que tem vindo a constituir sérios problemas para as equipas técnicas dos clubes que fazem uso diário daquele recinto.
Acredita-se ainda que, tal situação se deva à excessiva carga de trabalho que o referido recinto tem vindo a suportar, tendo em conta que quatro formações principais da capital fazem uso daquele campo, de entre equipas que militam no Girabola, na Segundona e nos campeonatos provinciais dos variados escalões.
O piso do campo em causa apresenta lareiras em diversas áreas do terreno, o que, para além criar muitos desníveis do mesmo, tornando-se bastante prejudicial para a prática do desporto, põe ainda em risco a própria integridade física dos atletas.
Deste modo, essa situação apresenta-se como uma batata quente nas mãos da administração daquele recinto, factor idêntico a que se sujeitam as equipas do Santos FC, Kabuscorp do Palanca, Benfica de Luanda e Progresso do Sambizanga, que têm sido os potenciais utilizadores daquele campo.
Aliás, diga-se em abono da verdade que, caso essa situação não seja ultrapassada o mais urgente possível, poderá criar muitos transtornos não só às equipas citadas, mas também à própria Federação Angolana de Futebol (FAF), pois, será obrigada a reajustar alguns calendários elaborados para algumas competições sob sua égide.
Lembra-se aqui que, em situação pior se encontra o campo adjacente, ou melhor, o São Paulo pequeno, que há muito deixou de ser relvado, pois só ficou mesmo na memória de que conheceu aquilo em tempos idos.