Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Golo de Leonel afasta maus resultados

BENINGNO NARCISO- LUBANGO - 14 de Maio, 2018

Contudo, o 1-0, alcanado aos 49 minutos pelo Desportivo prevaleceu at ao apito final do rbitro Benjamim Andrade, que teve uma actuao aceitvel.

Fotografia: SANTOS PEDRO | EDIES NOVEMBRO

Um golo solitário, ontem, apontado pelo avançado camaronês Leonel, aos 49´ do jogo, permitiu ao Desportivo da Huíla quebrar a sequência de seis jornadas sem triunfar, vencendo, assim,  por 1-0, o Recreativo da Caála, no estádio do Ferroviário, no Lubango, em desafio pontuável para a 15ª jornada da prova.
Determinados em pôr ponto final a onda de cinco empates e uma derrota, os Militares da Região Sul entraram cientes de que estavam proibidos de voltar a perder em casa, diante dos seus adeptos. O peso desta responsabilidade interferiu na postura da equipa nos minutos iniciais do jogo.
Surpreendida, mas não abalada, a equipa de casa suportou a entrada activa e esclarecida dos visitantes e, a partir dos 15 minutos, entrou no jogo. Começou a equilibrar, passou a dividir as investidas e a superiorizar-se sobre o adversário.
O cabeceamento de Careca aos 7 minutos, avançado dos forasteiros, serviu de despertador para a equipa huilana. Na resposta, aos 17´ a representante da Huíla na prova, repostou e deu o primeiro sinal de vida, quando Cristian, na grande área pleno de oportunidade e em posição privilegiada, atirou ao lado para o espanto dos adeptos, pois, o guarda-redes contrário já se encontrava sem possibilidades de defesa.
Apesar desse despertar, os comandados de Mário Soares voltaram a revelar falta de pontaria, situação que voltou a merecer o desabafo do próprio técnico. Kêmbua, aos 24 minutos, Manucho Diniz aos 34 e aos 89, Leonel aos 79, revelaram, uma vez mais, a fraca capacidade de finalização que afecta a equipa.
De domador a domado, a equipa do Huambo cedo revelou redenção à superioridade dos Militares da Região Sul. Por isso, foram apenas três as ocasiões que, sem sucesso, tentou incomodar para violar a baliza defendida por Kissi.
Na mais flagrante, aos 75, o guarda-redes do conjunto de casa  viu-se obrigado a uma defesa a dois tempos e, depois, sem possibilidades de controlar a bola, atirou para a linha do fundo, ante a pressão dos avançados contrários.
As alterações efectuadas pelos dois técnicos imprimiram velocidade e vivacidade ao jogo. Destaca-se a magia de Nandinho, pelo Desportivo que, com recortes técnicos de registo e fintas estonteantes, animou e ajudou a sua equipa a conservar a vantagem e remar contra a maré na tentativa de ampliar o resultado.
Contudo, o 1-0, alcançado aos 49 minutos pelo Desportivo prevaleceu até ao apito final do árbitro Benjamim Andrade, que teve uma actuação aceitável.
BN, no Lubango