Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Golo de Miro relança maquisardes

Daniel Melgas, no Luena - 02 de Outubro, 2017

Gilberto técnico adjunto do Maqui

Fotografia: José Soares /Edições Novembro

Cinco jogos depois da última vitória no Girabola Zap 2017, o FC Bravos do Maquis voltou a dar um ar da sua graça. Para tal, bastou a pontaria afinada de Miro para os maquisardes derrotarem ontem, no Luena, o Santa Rita de Cássia, por 1-0, resultado que  relança a luta pela manutenção na primeira divisão.

Pouco ofensivo no principio do jogo, muito pelo facto de alinhar num 4x5x1, o FC Bravos do Maquis “gemeu” perante um oponente descontraído e sem pressão, que privilegiou pragmatismo e jogou aberto, lutando pela dignidade.

Razão pela qual foi o avançado Gazeta, da equipa do Uíge, a chegar primeiro à baliza maquisarde, com um remate de fora da grande área. A resposta foi imediata, através do avançado Jó, o Maquis ripostou, igualmente com um remate à entrada da grande área.

O minuto 23 podia ter sido fatal. O Maquis produz uma jogada de contra-ataque rápido, e já na grande área, o esférico sobra para o defesa caseiro Kitenga, porém, pecou ao chutar fraco, com o seu pior pé, para o guardião Kobi.

O técnico Zeca Amaral compreendeu que a equipa precisava ser mais ofensiva, face a ousadia dos uigenses que continuaram a praticar um futebol movimentando a todo terreno, comando por Gazeta, Liliano Água e companheiros, por isso teve de alterar o sistema táctico para 4x4x2.
A avalanche ofensiva maquisardes subiu e Milex cobra um lance de bola parada aos 48 minutos. Longe da área, remata cruzado e a bola cai aos pés do lateral esquerdo Miro que, com o seu melhor pé (esquerdo) remata para o fundo das malhas da baliza de Kobi.

O Santa Rita nunca baixou os braços e foi persistente e letal. Liliano foi a prova disso, quando cabeceou o esférico, passando rentinho ao posto direito da baliza do guarda-redes Dadão.

Antes do fim do desafio, cuja arbitragem comandada por Mauro de Oliveira, coadjuvado por Domingos Francisco e Neri da Silva, foi muito contestada pela duas equipas em função ao mau trabalho, houve ainda falhanços inacreditáveis de Chole, João e Dabanda.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS

“Vitória tranquilizante”
Gilberto Amaral Maquis - “
A vitória conquistada adiante da Santa Rita tranquiliza a equipa em caso de pontos, pois é um resultado que motiva os jogadores a melhorar a preparação para a 27ª jornada. A equipa vai continuar a trabalhar para o próximo jogo, sendo que vai ser um jogo difícil diante do Petro de Luanda. Será um jogo de máximas responsabilidades”.

Ainda sonhamos
Hélder Teixeira -Santa Rita -
“Ainda estamos confiantes com a manutenção, pois matematicamente é possível, embora não dependa de nós, dependemos de terceiros. Estou também insatisfeito com o desempenho dos nossos atacantes. Lamentamos  ainda o golo sofrido em circunstância de bola parada mas vamos continuar a trabalhar até ao final do campeonato”.