Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Golos salvam duelo agressivo

Benigno Narcisco , no Lubango - 18 de Março, 2019

A entrada fulgurante da formao afecta Regio Militar Sul, no passou de mera iluso, sobretudo na primeira parte

Fotografia: Contreiras Pipa | Edies Novembro

Rispidez e lances de elevada violência, com agressões físicas recíprocas de ambos os lados, marcaram ontem, no estádio do Ferroviário, no Lubango, o jogo que terminou com vitória do Desportivo da Huíla, por 2-0, diante do Cuando Cubango FC em desafio válido para a 20ª jornada do Girabola Zap 2018/2019.A conduta hostil e agressiva dos artistas sobre o tapete relvado forçou a uma actuação exaustiva do juiz Benjamim Andrade, que para impor ordem ao jogo, se viu forçado a levar, por nove ocasiões a mão ao bolso, para sancionar disciplinarmente os prevaricadores.
 A mão pesada do árbitro do encontro resultou em duas expulsões directas do médio Cuca, do Cuando Cubango FC, e do avançado Lionel, do Desportivo da Huíla.
 A entrada fulgurante da formação afecta à Região Militar Sul, não passou de mera ilusão, sobretudo na primeira parte, período em que impôs supremacia ao adversário. Contudo, esse domínio nunca chegou a ser justificado devido ao festival de falhanços protagonizados pelos comandados de Mário Soares. Prova disso, aos 27 segundos de jogo, o médio Bruno, embalado e já na pequena área, foi brindado com um passe de Lionel, mas este na cara do guarda-redes Rochaná, não teve arte nem engenho para empurrar abola, no que seria um dos golos mais rápidos da prova.
  O festival de falhanços dos visitados seguiu-se até aos 57´, altura em que o avançado Beto, mais em força do que em jeito, colocou a equipa de Mário Soares em vantagem.
Os comandados de Albano César, que vinham motivados pelas duas vitórias obtidas diante do Interclube e Saurimo FC, tudo fizeram para levar a melhor. Contudo, a superioridade do oponente, que apesar da natureza incaracterística do jogo, prevaleceu e ficou confirmada quando aos 85´, o recém-entrado Pedro ampliou a vantagem para 2-0. O árbitro Benjamin Andrade teve uma actuação árdua, motivada pela postura dos jogadores em campo. Apesar da contestação dos dois bancos, revelou-se sempre firme nas suas decisões. Disciplinarmente exibiu em sete ocasiões a cartolina amarela e em a vermelha. Teve uma actuação aceitável sem interferência directa no resultado final do jogo.