Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Governo aconselha busca e alternativas de apoio

Ant?nio Capit?o|U?ge - 26 de Janeiro, 2017

O governante falava num encontro com as direcções das Associações desportivas representadas na província,

Fotografia: Jornal dos Desportos

O governador provincial do Uíge, Paulo Pombolo, está preocupado com a capacidade financeira da equipa de Santa Rita de Cássia FC, para suportar as despesas no decorrer do Girabola Zap 2017, com início previsto para 11 de Fevereiro, altura em que a estreante recebe em casa, no Estádio Municipal 4 de Janeiro, o Recreativo do Libolo, na partida inaugural.

O governante falava num encontro com as direcções das Associações desportivas representadas na província, no salão nobre do Governo  Provincial, admitiu que a direcção vai precisar de meios materiais e financeiros para a sustentabilidade na competição, numa fase em que o Governo local está incapacitado de garantir condições à equipa, como aconteceu em 2015 com a União Sport Club do Uíge.

“O país vive momentos difíceis em termos económicos e financeiros, o que dificulta o governo da província assumir todos os encargos com a participação da equipa uígense no Girabola Zap. Vamos, dentro das possibilidade, dar o nosso contributo, mas o desporto só se desenvolve com meios que devem ser produzidos através da visão estratégica dos dirigentes na busca de alternativas, para resolver os problemas das equipas e satisfazer os anseios dos desportistas”, referiu.

Sublinhou ser necessário que se encontrem alternativas de financiamento, através da mobilização de sócios que façam contribuições periódicas ou angariar patrocínios locais, e noutras regiões do país e no estrangeiro, com vista a permitir que tenha capacidade de sustentabilidade na maior competição futebolística do país e conseguir manter-se na prova.

“Esta equipa vai precisar de muitos meios para poder competir no campeonato nacional, mas o Governo Provincial do Uíge não vai poder garantir tudo.Devemos encontrar alternativas com a filiação de sócios e mobilização de patrocinadores, aqui na província, em todo país, e no exterior”, sugeriu.

Paulo Pombolo aconselhou que uma outra alternativa de auto-financiamento da equipa, consiste na criação de projectos viáveis que possam ser financiados pelo sector bancário, e obter rentabilidades que permitam custear as actividades da agremiação durante o tempo que a equipa permanecer na competição.

“Vai ser muito triste se não formos capazes de garantir a manutenção do nosso representante, na maior montra do futebol nacional. Devemos estar todos engajados para que o objectivo da permanência da formação de Santa Rita de Cássia FC seja concretizado, dado que vai contribuir para a promoção do nome da província no contexto nacional e internacional. Vai, também, permitir proporcionar grandes momentos de alegria e lazer à juventude local”, disse.

O governador do Uíge apelou aos desportistas no sentido de pautar por uma convivência baseada na unidade, concórdia, inter-ajuda e complementaridade, pelo facto destas virtudes mencionadas serem veículos conducentes para a obtenção de vários benefícios e conquistas desportivas da região. “No domínio do futebol estamos a marcar passos largos, e precisamos consolidar a permanência das nossas equipas nas competições”, reiterou.

“Nesta altura, em que temos o Santa Rita de Cássia FC no Girabola Zap 2017, devemos todos apoiar a agremiação, principalmente, por ser a única a representar a província neste nível de competição, onde vemos as estrelas do 1º de Agosto, Petro de Luanda, e de outras formações, a desfilar no Estádio Municipal 4 de Janeiro”, destacou.

O director provincial em exercício da juventude e desporto, Luís Samuel, revelou que quanto ao apoio institucional ao Santa Rita de Cássias, a direcção da juventude e desporto tem contactos permanentes com os gestores desta formação, para intervir em qualquer eventualidade.