Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

guia quer comear a voar

Pedro Augusto - 15 de Julho, 2016

Encarnados da capital so favoritos conquista dos trs pontos no duelo diante da formao do Cuando Cubango

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Benfica de Luanda vai tentar hoje à noite, no estádio 11 de Novembro, na Camama, colocar um "basta" nos maus resultados no Girabola Zap 2016. A equipa treinada por Zeca Amaral, que na ronda passada foi prejudicada pela arbitragem  no duelo com o 1º de Agosto, Gelson marcou um golo com a mão, defronta o "problemático" 4 de Abril do Cuando Cubango, jogo que marca a abertura da 17ª jornada da competição.

As águias da capital, não obstante o período menos bom que atravessam no campeonato, são favoritas à vitória.

A forma tenaz como se bateram com os militares, quer para o Girabola Zap, como para a Taça de Angola, está última prova em que foram eliminadas pelo Interclube, deixa entender que estão vivas.

O décimo lugar que o Benfica ocupa na tabela de classificação não condiz com o estatuto granjeado no Girabola Zap. Aliás, no ano passado, no mesmo período, a equipa luandense lutava pela primeira posição, pois, mercê da grande capacidade competitiva evidenciada, estava atrás do Recreativo do Libolo com menos quatro pontos (36/32).

Como se disse acima, o Benfica de Luanda é favorito à conquista dos três pontos no duelo que abre à 17ª jornada do campeonato. Para além de jogar em casa e parecerem mais tranquilas, as águias vão defrontar um adversário que vive um "mar" de dificuldades na competição. Ou seja, o grémio do Cuando Cubango está com os "cofres fininhos" e os jogadores, inclusive, chegaram a ameaçar greve depois do duelo com os tricolores.

Uma situação que pode ser explorada pelas águias para, de uma vez por todas, chutar a crise de resultados e subir alguns degraus na tabela de classificação. Melhor, em caso de vitória esta noite, o Benfica, que tem 19 pontos,  iguala o Sagrada Esperança na sexta posição. 

Ainda assim, Zeca Amaral e pupilos devem levar em consideração que a tarefa não vai ser fácil, pois o adversário está igualmente com o orgulho feriado, depois da derrota de terça-feira última, por 1-0, em Menongue, diante do Petro de Luanda. 

A equipa treinada pelo experiente João Machado já deu provas de competência nos jogos disputados na capital. Apesar de derrotada pelos adversários, sempre mostrou atitude competitiva, o que pode voltar a evidenciar hoje no  estádio 11 de Novembro, diante do Benfica de Luanda. 

A jornada que encerra no domingo, prossegue amanhã com os jogos Kabuscorp - CR Libolo e  Interclube x CR Caála.


TÉCNICO jOÃO MACHADO
“Empate é suficiente para nós ”


A conquista de um ponto é o objectivo mínimo traçado pelo técnico João Machado, do 4 de Abril do Cuando Cubango, para o jogo de hoje, a partir da 18h00, em Luanda.

O técnico prevê que as águias vão tentar assumir o controlo do jogo para corrigir o desaire da primeira, o adiantamento do adversário até certo ponto aumenta as possibilidades da sua equipa de pontuar outra vez contra os encarnados.

O 4 de Abril concebeu uma estratégia para evitar a derrota, a equipa vai utilizar várias variantes tácticas para impedir que as águias voem em casa.
"O empate é suficiente para nós, mas se houver oportunidades vamos nos esforçar para alcançar um resultado melhor, a vitória", assegurou João Machado.

A equipa técnica e os jogadores do 4 de Abril queriam disputar o jogo com o Benfica numa outra data, porque jogaram terça-feira contra o Petro de Luanda, mas o curto espaço de tempo não vai impedir os atletas de correr do princípio ao fim, como sucedeu contra os tricolores.

"Só a FAF sabe por que marcou o jogo para sexta-feira (hoje), deveria ter escolhido uma outra data, mas não podemos usar isto como desculpa para nada, sabemos o que queremos fazer em Luanda", afirmou o técnico. Os bons indicadores demonstrados contra o Petro aumentam a fé de João Machado na obtenção de um bom resultado diante do Benfica.

"Agora o adversário é outro, mas queremos pontuar, a única que coisa que deveria me preocupar é o pouco tempo de repouso dos meus atletas, mas não posso falar do físico da equipa antes do jogo, tenho de esperar pelo final dos 90 minutos para ver se vão haver ou não uma influência negativa, até agora tudo caminha bem", enalteceu. O jogo com o Petro de Luanda assinalou o fim da greve dos atletas, os salários em atraso ainda não foram pagos mas o plantel voltou a se concentrar apenas no futebol, mostrou-se satisfeito João Machado.

"A greve felizmente terminou, por isso jogamos na terça-feira, agora tivemos a oportunidade de treinar para defrontar o Benfica", garantiu.

A direcção se reuniu com o plantel e fixou uma data para liquidar os 3 meses de salário em atraso, único motivo por que os atletas fizeram greve antes do jogo com o Petro.  "Eu sei quando eles vão receber, mas está claro que não vou revelar, se no dia acordado não pagarem, os jogadores é que vão decidir o que fazer. "O  que conta agora é que estamos a trabalhar para o jogar com o Benfica", afirmou João Machado.