Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

guia "voa" alto em Ndalatando

ISIDORO NATALCIO, em Ndala Tando - 18 de Abril, 2016

Os benfiquistas jogavam em passes longos e procuraram fazer do meio campo apenas zona de transio para o ataque

Fotografia: Arimateia Baptista

O Porcelana Futebol club do Cazengo somou ontem a sua terceira derrota consecutiva, desta por 0-1 diante do Benfica de Luanda, em partida para a oitava jornada do Girabola Zap.

Disputada no Estádio Fernando Diniz, em N’Dalatando, ao intervalo o Porcelana já perdia por uma bola, embora longo dos primeiros 45 minutos tivesse controlado o jogo com base em passes curtos, de trás para frente, fazendo o esférico rolar a toda dimensão.

Os benfiquistas jogavam em passes longos, procurando fazer do meio apenas zona de transição. Mas o primeiro sinal de perigo pertenceu ao Porcelana, à passagem do minuto 20, quando Alexander desferiu um forte remate a cerca de seis metros da linha da grande área, fazendo a bola passar a excassos metros da baliza defendida por Fernando.

Três minutos depois o árbitro Job da Silva não assinalou um penálti resultante de mão à bola de um defensor do Benfica, dentro da sua área. A partir dos 30 minutos esta equipa conseguiu equilibrar o jogo, sobretudo na zona central do terreno e, por via disso, numa das poucas incursões Amido Baldes marcou o primeiro golo da partida, aos 39 minutos, aproveitado uma defesa incompleta do guarda-redes Tsherry.

A segunda parte iniciou com o Porcelana sem reação, pouca criatividade, ânimo, situação que permitiu ao Benfica ganhar mais protagonismo. Aos poucos, o meio campo do Porcelana foi desaparecendo. Foi nesse período que algumas mazelas do Porcelana saíram à superfície, mormente, pouca desmarcação, deficiente posicionamento, ineficácia dos passes curtos, quebra física, dentre e outros.

Apesar disso, o Porcelana ainda beneficiou de um penálti a castigar pé em riste de um defesa do Benfica sobre o lateral direito do Porcelana, Miguel, dentro da área. Chico Caputo, chamado a cobrar, falhou, ao atirar o esférico para cima da barra transversal. O técnico Luís Mariano colocou em campo Dilmam, Rasca e Careca, para os lugares de Viola, Djami e Armando, mas não consegiu inverter o rumo dos acontecimentos.

Zeca Amaral, por sua vez, foi bem sucedido, ao substituir Amido e Manuel por Bena e Beibe, respectivamente. O único cartão exibido foi o amarelo a Manuel por jogo perigoso.

DECLARAÇÔES DOS TREINADORES
Zeca Amaral
(Benfica)

" Somos Candidatos"

“Jogamos num campo muito difícil, com um adversário organizado, que deu muita luta em certos períodos até conseguiu mandar no jogo, mas eu creio que a experiência da nossa equipa a vontade dos nossos jogadores em mudar o nosso curso no campeonato acaba por nos dar com justiça essa vitória. Somos candidatos ao título, somos uma equipa que tem crescido entra para os campeonatos para fazer o melhor possível.

Nos últimos anos conseguimos o terceiro lugar, os campeonatos a cada ano que passa são mais competitivos, não começamos muito bem, mas eu creio que aos poucos vamos acertando não temos feito grandes exibições mas temos conseguido resultados bons temos feito jogos já sem sofrer golos acho que estamos no bom caminho”.

Luís Mariano
(Porcelana)

" Falhamos muito"

“Fizemos uma partida com equipa que discute o título, sabíamos que um detalhe poria dissidir, não podíamos falhar de maneira alguma, falhamos, entramos no segundo tempo a procura do golo de toda a forma, não saiu o golo, tivemos a possibilidade de diminuir, mas, outra vez erramos, falhámos muito, mas isso não tira o mérito do adversário”.