Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Hlder Teixeira deixa o Cala

04 de Março, 2016

Hlder Teixeira deixou de ser, treinador principal da equipa de futebol do Clube Recreativo da Cala

Fotografia: Jornal dos Desportos

O angolano Hélder Teixeira deixou de ser, desde ontem, treinador  principal da equipa de futebol do Clube Recreativo da Caála, por discordar de algumas questões internas da agremiação.

Ao anunciar a sua saída do clube, Hélder Teixeira negou que a mesma tenha sido motivada pelas duas derrotas nos jogos já disputados, ante o Kabuscorp do Palanca (3-1) e Interclube (1-0), alegando, porém, que as divergências com a direcção não o permitem continuar.

Também confirmou a saída, pelos mesmos motivos, do seu adjunto, João Pintar da Silva, informando que o conjunto vai ser orientado provisoriamente por uma comissão de gestão integrada pelo português Luís Miguel Curado Aires (responsável da área de observação de jogos) e o angolano Severino Ulombe Capessa (treinador de guarda-redes).

“Eu (Hélder Teixeira) e a direcção do clube divergimos em questões cruciais e, como consequência, optamos em colocar ponto final na relação contratual, de forma amistosa, impedindo, assim, que situações graves ao longo da época aconteçam”, explicou.

De 47 anos de idade, Hélder Mário Pedroso Teixeira protagonizou, este ano, um feito inédito no Clube Recreativo da Caála, ao tornar-se o primeiro angolano a começar uma época no clube. Foi também o responsável, em 2015, pela permanência do conjunto na Primeira Divisão, depois de render João Paulo Arsénio Ribeiro “Túbia”, na 6ª jornada.

Contudo, não conseguiu quebrar a "maldição" no Recreativo da Caála, que nunca terminou uma época sem trocar de treinadores, desde que ascendeu à Primeira Divisão em 2009.

O único representante da província do Huambo no Girabola é famoso pelas constantes mudanças de treinadores, tendo-se notabilizado neste quesito em 2010, ao terminar a época com cinco contratações.Na próxima jornada, a 3ª, o Caála desloca-se à província de Luanda para defrontar o ASA, que tem uma vitória e uma derrota.