Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Incio a meio gs

Jorge Neto - 01 de Março, 2018

Agostinos alcanaram ontem o primeiro ponto no presente Campeonato Nacional de futebol da primeira diviso

Fotografia: CONTREIRAS PIPA| Edies Novembro

A atitude (positiva) apresentada pela equipa do Progresso Sambizanga foi suficiente para travar o 1º de Agosto na sua estreia no Girabola Zap deste ano. O empate nulo coroou a postura organizada dos sambilas e penalizou a falta de entrosamento e de finalização no ataque do conjunto militar. 
Antes do início do jogo os campeões nacionais receberam nas mãos do seu presidente, Carlos Hendrick, a Taça e o cheque de 34.400.000.00 Kz (Trinta e quatro milhões e quatro centos mil kwanzas) correspondentes ao título conquistado no ano passado.
A jogar na condição de anfitrião os militares tomaram as rédeas da partida, tiveram mais posse de bola, mas encontravam sérias dificuldades para passar o último reduto sambila, que esteve bastante atento e fazia de tudo para anular as unidades mais avançadas dos adversários.
O jogo decorria num bom ritmo, as duas equipas queriam marcar, o Progresso Sambizanga não ficou apenas a ver jogar o 1º de Agosto, criou jogadas de algum perigo para a baliza de Neblu, inclusive numa delas, o guarda-redes agostino viu o cartão amarelo muito cedo, por travar em falta um avançado sambila fora da grande área.
Sem algumas das suas principais "peças" em campo, devido ao castigo imposto pela FAF, os campeões nacionais ressentiram as ausências do capitão Dany Massunguna, Natael, Paizo, Nelson da Luz e Geraldo, aliado a suspensão de Buá e Fofó, por acumulação de cartões amarelos, referentes ao campeonato anterior.
Coube ao médio Ibukun, com o braçal de capitão, assumir as acções de jogo e conduzir a equipa para frente. Jacques teve poucas oportunidades para marcar no primeiro tempo, mas quando foi chamado cabeceou para cima, com o guarda-redes Titi já batido.
No reatamento, os pupilos de Zoran Maki entraram dispostos a marcar o mais cedo possível, fustigaram a defesa sambila, mas sem conseguirem atingir os seus objectivos. Aliás, foram os comandados de Hélder Teixeira que remataram primeiro para defesa segura de Neblu.
O tempo foi passando e a ansiedade começou a fazer-se sentir nos jogadores do 1º de Agosto, que procuravam o golo como quem busca o "pão para a boca", inclusive o técnico Zoran Maki fez algumas mexidas no xadrez da equipa com a entrada de outras unidades, mas o resultado não se alterou.
O árbitro Hélder Martins não teve influência no resultado final, mas deixou-se levar nos erros dos seus colegas assistentes, em relação as situações de fora-de-jogos, que de facto não aconteceram. Foram várias as ocasiões que os dois assistentes penalizaram as duas equipas sem justa causa.