Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Inexperincia na despromoo

Augusto Panzo - 21 de Outubro, 2015

Como estreante no Girabola, formao do Domant FC do Bula Atumba para manter-se no convvio dos melhores

Fotografia: Santos Pedro

A equipa do Domant FC do Bula Atumba, teve a primazia de inscrever o nome da província do Bengo na maior prova futebolística nacional, mas não foi capaz de manter-se no convívio dos grandes, no ano de estreia, como era desejo premente da sua direcção e todos associados.

A falta de experiência nestas andanças, aliada a pouca maturidade demonstrada por muitos dos jogadores que fizeram parte do plantel durante os momentos cruciais de certos períodos dos jogos, acabaram por ditar o regresso à segunda categoria.

A equipa teve um bom começo do campeonato, tendo inclusive liderado o Girabola durante mais de quatro jornadas, o que pressupunha à sua massa associativa e aos seus adeptos uma primeira participação airosa. Porém, quando se esperava que o Domant FC fosse ganhar maior eficácia, jornada após jornada, as coisas inverteram e começaram a tomar um rumo diferente do traçado, principalmente nos jogos fora de casa, onde a equipa conseguiu apenas um único triunfo, em 15 desafios disputados na condição de visitante.

O plantel, apesar da despromoção, não foi dos piores no Girabola 2015. Não obstante a sua condição de 'caloiro' a equipa conseguia equilibrar os jogos diante dos seus os adversários, mas a falta de concentração e fraqueza defensiva surgia sempre nos derradeiros minutos de cada partida.

Para muitos a derrocada do representante do Bengo deveu-se, a falta de investimento humano no plantel, enquanto alguns discordam deste ponto de vista e justificam as suas posições no facto de existiram equipas com planteis muito mais limitados, mas com uma produtividade regular.

Depois de muitos anos a desfilar na Segundona, a direcção quando decidiu apostar na ascensão ao escalão máximo, perspectivou de certeza uma participação airosa na maior prova de futebol nacional e pensamos ter preparado ao pormenor as condições para que a equipa pudesse fazer um campeonato tranquilo.

Dentro desse espírito, investiu forte para que nada falta-se ao grupo de trabalho. Ao contrário de várias equipas com patrocinadores de "peso", os dirigentes do Domant FC em momento nenhuma demonstraram dificuldades financeiras. A equipa fez uma campanha sem manifestar qualquer lamentação.

Na questão de deslocação às outras províncias a equipa esteve em bom plano, pois, dos 15 jogos que realizou fora do seu "habitat", o clube do Bengo não faltou em nenhum deles, o que deixou mostras de que não existira problemas. Como estreante no Girabola, à formação do Domant FC do Bula Atumba para manter-se no convívio dos melhores terá faltado apenas o factor sorte, que por vezes acompanha os audazes.

FIM DE CONTRATO
Abel Mainfuila
procura novo clube


O médio ofensivo Abel Mainfuila, que defendeu as cores do Domant FC do Bula Atumba na segunda volta do Girabola 2015, proveniente do Progresso Sambizanga, está em fim de contrato com a formação do Bengo e aguarda por qualquer proposta de equipas interessadas pelos seus préstimos.
A intenção foi manifestada ontem ao Jornal dos Desportos pelo jogador, na conversa mantida com este órgão. O atleta revelou que o vínculo com a formação do Bengo termina no fim de Dezembro e neste momento sente-se um atleta livre.

"Vou deixar o Domant porque o meu contrato termina no dia 31 de Dezembro. Estou à espera de qualquer proposta de equipas que eventualmente tenham interesse nos meus préstimos. Praticamente sou um atleta livre e sem qualquer compromisso e aguardo por  outras oportunidades", disse o jogador.

Abel Mainfuila lamentou a despromoção da equipa do Domant FC, mas enalteceu a figura do dirigente máximo desse clube, Domingos António, pela sua persistência e trato humano que o caracterizam, que tudo fez para manter o primeiro representante das terras do Jacaré Bangão no Girabola.  "É uma pena que o Domant tenha caído de divisão, porque tem um presidente bastante persistente, que sabe lidar com as pessoas. Pela sua dedicação ao futebol, acho que não merecia isso.

Tentámos fazer tudo para salvar a equipa, mas fomos infelizes", lamentou o atleta em referência. Referiu igualmente à relação com os seus companheiros de equipa, com os quais partilhou seis meses de convivência salutar. "Tenho a realçar aqui a convivência salutar que vivi com os colegas ao longo desses seis meses que joguei no Domant, onde a camaradagem falou mais alto. São saudades que ficam para sempre marcadas para a vida de cada um de nós", lembrou.
AP