Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Interclube e Libolo com jogos complicados

Betumeleano ferrao - 30 de Julho, 2017

Libolenses e polcias medem foras com Progresso da Lunda Sul e 1 de Maio

Fotografia: Jornal dos Desportos

Favoritos a conquistar mais 3 pontos, Recreativo do Libolo e Interclube vão ter de puxar dos galões para ultrapassar os acessíveis, porém complicados Progresso da Lunda Sul e 1º de Maio de Benguela. Ninguém dúvida da capacidade de libolenses e polícias de somar novo triunfo, mas é possível que ambos tenham de pagar um preço alto para suplantar dois adversários que quando "querem", são capazes de tudo.

A jogar em casa, o Libolo tem a vantagem de estar no seu conforto, pelo que a única coisa que vai tentar fazer é usar todas as vantagens para somar o segundo triunfo consecutivo em poucos dias. Como não existem dois jogos iguais, é possível que esta tarde os libolenses suem muito para marcar, mas mesmo que do outro lado não surjam brindes, como aqueles dados pelo 1º de Maio, o Libolo sabe encontrar sozinho o caminho do golo.

O Progresso da Lunda Sul anda atrás de uma série de resultados que reacendem em definitivo a chama da permanência no Girabola Zap. A equipa está longe do fulgor dos anos passados, mas o que conta agora é o presente, evitar a derrota em Calulo é o plano inicial do Progresso para regressar a casa a sorrir.

Sem chama e ambição, o 1º de Maio foi presa fácil para o Recreativo do Libolo na terça-feira, a pesada derrota (4-1) ainda está mente dos proletários, ainda assim o Interclube não está à espera de encontrar as mesmas facilidades. O contrário sim vai acontecer, pelo que os polícias têm de ser competentes para prolongar, nem que seja por mais uma jornada, o jejum de vitórias dos proletários.

A maneira como o Maio deu um cabaz ao Libolo coloca a equipa sob a obrigação de provar que se tratou de um acidente de percurso e nada mais. Atacar e defender bem é a dupla meta que os proletários vão tentar atingir a todo o custo, para evitar cair de novo nas mesmas incertezas da primeira volta. Os polícias vão a casa alheia cheios de cautela, eles já calcularam o custo e sabem quantos riscos têm de correr para regressar animados a Luanda.

O estado mental em que se encontram os proletários dá aos polícias a oportunidade de optar entre uma entrada à matar ou adoptar uma atitude de espera, sabe-se qual é a melhor postura, mas não importa qual seja a escolha final o mais importante para o Interclube é atingir a meta estabelecida para a deslocação ao Municipal.                                                
BF