Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Ivo elogia nível competitivo

25 de Novembro, 2016

Técnico considera 1º de Agosto justo campeão nacional na época 2016

Fotografia: Nuno Flash

Quinze dias depois de correr as cortinas no campeonato nacional  que consagrou campeão o 1º de Agosto, o Girabola Zap continua a merecer elogios de muita boa gente que esteve envolvido na competição e não só, pelo nível competitivo que se registou.

Ivo Traça, técnico que orientou o Desportivo da Huíla, revelou ao JD que a maior prova futebolística do país dignificou as equipas participantes, quer a campeã como as formações despromovidas.

“A época futebolística foi bastante renhida. Houve competitividade acérrima quer no topo como na base. Ou seja, quer o campeão como os que desceram de divisão, foram apenas encontrados na penúltima e última jornada.  As equipas disputaram os jogos entre si, quase de igual para igual, e não houve muita disparidade nos resultados, com excepção de um ou outro caso”, destacou.

O treinador reforçou o comentário e afirmou que em todos os pólos registou-se um certo equilíbrio, e justificou a diferença pontual, como o exemplo. Elogiou o trabalho do trio de arbitragem, considerou que esteve à altura da competição. 

“Se repararem, do sexto ao penúltimo lugar em termos pontuais, não houve uma diferença muito grande. Por outro lado, deixa-me destacar o facto de haver muitos casos de arbitragem, e quando assim é, consideramos que a temporada foi boa”, sublinhou.

Como não existem campeões injustos, considera o 1º de Agosto um digno vencedor, não por obter o maior número de pontos, mas acima de tudo, porque foi a equipa mais regular ao longo da época.

“Não há dúvidas, que o 1º de Agosto venceu e muito bem, porque foi a equipa mais regular. Somou mais pontos que os seus concorrentes directos, e conseguiu, em determinadas alturas, acumular um volume de vitórias consecutivas, que proporcionou a folga de liderar a prova do princípio ao fim”.

Ivo Traça deixou uma palavra de apreço ao campeão destronado, pela forma como entregou o testemunho, levou o despique até as últimas consequências e culminou com a conquista da Taça de Angola.

"De louvar a luta renhida do Recreativo do Libolo e do Petro de Luanda, que acabaram por dar mais competitividade à prova”, sublinhou.