Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Jamba confiante na permanência do ASA

10 de Outubro, 2017

O antigo internacional angolano (à direita) enalteceu a coragem o presidente de direcção

Fotografia: Vigas da Purificação/ Edições Novembrbo

O antigo defesa central do Atlético Sport Aviação (ASA), hoje dirigente do clube aviador, João Pereira "Jamba", reconhece que a formação do aeroporto vive momentos difíceis no Girabola Zap, derivados da falta de alocação de verbas que o clube tem direito, por parte de potenciais patrocinadores.

O dirigente revelou, que apesar da fase crítica que o clube enfrenta, acredita na manutenção. Sublinhou que ao longo da sua carreira como atleta, viveu situações do género, a equipa sempre dar à volta por cima.

"Apesar de crítica, a situação que o ASA vive, acredito que não  desce de divisão, porque mesmo quando jogava, participei em muitos jogos, que em princípio eram quase impossíveis inverter o quadro, mas que acabava por se tornar realidade", revelou confiante. Jamba mantém a fé, e diz que os aviadores vão controlar a atribulação,  para estabilizarem a aeronave. "Por esta experiência que carrego, acredito que o ASA consiga sair dessa situação", salientou.O antigo internacional angolano enalteceu a coragem, que o presidente de direcção tem ao cobrir muitas das vezes às necessidades do clube, com o seu dinheiro.

"É dura a situação, e quero enaltecer aqui a postura do presidente Elias José , que por vezes faz das tripas coração, para cobrir certas despesas do clube com o dinheiro próprio. Espero, que lhe sejam devolvidos, depois dos patrocinadores alocarem as verbas", aconselhou.

Jamba afirma ter noção da crise que assola o clube há quatro anos, ainda assim, tem fé de que se os patrocinadores honrarem os compromissos que têm com o clube, a actual situação pode ser ultrapassada.

"Sei que a equipa vive uma situação complicada, que se arrasta há quatro anos,  quando começou o "mergulho" eu ainda estava a trabalhar na área da formação", recorda-se confiante em dias melhores.

"Sabemos que o país, está há três anos em crise, mas se por acaso os patrocinadores alocarem pelo menos 40 por cento dos valores que têm de dar, acredito que os jogadores vão lutar, e o ASA vai  safar-se dessa", referiu.

Para reforçar ainda mais a crença, o ex-capitão dos aviadores promete lutar com todas as forças possíveis ao seu alcance, para ajudar a equipa a salvar-se da despromoção, que afigura-se iminente.

"Ainda que os patrocinadores dêem pelo menos 40 ou 50 por cento dos dinheiros em falta, vamos lutar com as 'armas' disponíveis para sairmos da situação. O ASA não vai descer para a Segunda Divisão", assegurou.


APELO
“Vamos lutar
para salvar o clube”


O momento menos bom, que os aviadores enfrentam, está a mexer com o sentimento de todos os que se revêem com as cores  deste tradicional clube, e com um histórico no futebol angolano.

Jamba admitiu, que se tivesse condições financeiras para salvar o ASA da situação em que se encontra, não pensaria duas vezes para ajudar a retirar a equipa do aeroporto, da triste situação em que se encontra.

"Sem dúvidas, que estaria disponível, sem nenhum problema. Quando eu jogava, ajudei muito o ASA, e até agora existem coisas que supro no clube, com o pouco que às vezes consigo, através das minhas amizades", recordou com nostalgia.

Reforçou o sentimento, que nutre pela formação do aeroporto, com uma promessa. "Se eu tivesse mais, ajudaria sem problema nenhum, porque é um clube de que gosto muito, não quero ver morrer, a ver uma agremiação como esta nestas condições", lamentou.

Por último, lançou um repto à massa associativa do clube, e a todos que nutrem simpatia pelo ASA, à unirem esforço e estarem unidos em prol do clube, para evitarem que aconteça o pior.  "Aproveito essa oportunidade, para apelar aos adeptos, simpatizantes e outros que gostam deste clube, para que lutem para salvar o ASA, por que não é uma agremiação dos senhores Elias, Manuel ou Manuela. É de todos", recordou.