Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

JGM "ameaa" ASA e Acadmica

Betumeleano Ferro - 31 de Outubro, 2017

JGM do Huambo, com a vitria frente ao 1de Maio

Fotografia: Jornal dos Desportos/ Edies Novembro

A inesperada "ressurreição" do JGM do Huambo, com a vitória frente ao 1ºde Maio, pode resultar na manutenção no Girabola ZAP, à custa das descidas dos históricos Académica do Lobito e ASA.
O anúncio de desistência do campeonato, demonstrou ser o mal que veio por bem, pois, desde que mudou de decisão, a bonança chegou e deixou quase todos boquiabertos, porque parecia não ter esperanças de recuperação, para esta debutante equipa.
A permanência do JGM no campeonato, depende de um triunfo sobre o Caála, vencer ou vencer é a condição indispensável, para depois fazer contas. Contudo, mesmo se ganhar o dérbi do Huambo, ainda vai ser necessário esperar pelo desfecho entre Académica - ASA. Um empate ou um triunfo dos aviadores, mantém o JGM na primeira divisão.
Com ou sem ajuda no derradeiro jogo, a equipa de Jorge Mangueirinha tem no goal average, diferença entre marcados e sofridos, o único obstáculo incontornável para permanecer na primeira divisão. Mesmo que a formação orientada por David Dias jogue a meio gás, nem de perto nem de longe vai perder no mínimo, por 13-0, um placar exagerado, mas que tinha de acontecer para matar as esperanças da Académica, no caso de vitória sobre o ASA.
O futebol nacional testemunhou, há pouco mais de uma década, um celebre 20-0, que acabou por ser anulado pela FAF, por causa do que aconteceu nos bastidores, para a sua obtenção. É por isso, que ninguém está à espera que haja tanta fartura de golos, na baliza do Caála.
As contas dos estudantes são mais fáceis de fazer, porque têm os mesmos 27 pontos do JGM, mas têm melhor goal average, marcaram 35 e sofreram 51, enquanto o corrente fez 25 golos e consentiu 55. Como a Académica e a equipa do Huambo empataram nas duas voltas do campeonato, curiosamente, ambas por 1-1, qualquer vitória no Buraco sobre o ASA confirma a permanência.
Mesmo que o JGM derrote o Caála, o item de desempate vai ser a diferença entre marcados e sofridos, com os estudantes em vantagem porque entram na derradeira jornada com -16, contra -30 do JGM.
O jogo com o ASA é mais do que uma final para a Académica. E, como as finais costumam ter prolongamento, pode ser essa diferença que force os estudantes a recorrerem a tudo, menos jogos de bastidores, para encontrarem a motivação extra e necessária, para vencer à qualquer custo os aviadores.
A equipa do aeroporto tem chances de permanecer, por ironia, é o aflito com menos chances de continuar na primeira divisão. Ao contrário de épocas anteriores, como a de 1986, a primeira em que a salvação só apareceu na última jornada, desta vez, a vitória pode resultar na vanglória se o JGM também derrotar o Caála, então faz 30 pontos, mais um que os 29 dos aviadores.
O único totalista, de todas as edições do campeonato, a par do 1º de Agosto,  sabe que o contexto actual não vai motivar a Federação a aumentar o número de equipas, para que ninguém desça de divisão, como já aconteceu uma vez, para salvar o ASA. Contra a Académica só há duas saídas, vencer e aguardar que o Caála dê uma ajuda, nem que seja um empate.