Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Joel Diaku cumpre terceiro jogo de castigo

Augusto Panzo - 25 de Maio, 2017

O Joel tambm foi afectado pela medida punitiva da FAF

Fotografia: Jos Soares | Jornal dos Desportos

O atleta Joel Diaku, do Santa Rita de Cássia FC, portador da licença nº ANG 940218001, cumpre na 16ª jornada do Girabola Zap 2017, o quarto jogo de suspensão imposto pelo Conselho de Disciplina d Federação Angola de Futebol (FAF), devido aos tumultos registados no jogo com o 1º de Maio de Benguela, disputado no Estádio Edelfride da Costa \"Miau\", referente à 13ª jornada. O presidente do clube uigense, Nzolani Pedro, disse ao Jornal dos Desportos que o jogador  não conteve os nervos por causa da \"batota dos árbitros\", e acabou por se atirar contra os árbitros do jogo.

\"O Joel também foi afectado pela medida punitiva da FAF, porque insurgiu-se igualmente contra o árbitro. Ele estava no banco de suplentes, mas quando acabou o jogo dirigiu-se aos árbitros para pedir satisfações sobre o mau ajuizamento feito por José Álvaro. Ele até já cumpriu três jogos de castigo. Falta-lhe apenas um\", elucidou.

Para além de Joel Diaku, a FAF suspendeu igualmente, mas por um mês, o técnico de equipamento do Santa Rita de Cássia FC, Ndofula Masidivinga, portador da licença nº ANG 840302004, a quem abriga ao pagamento de uma multa em kwanzas, equivalente a mil e trezentos dólares norte-americanos (USD 1.300.00).

A respeito, o presidente Nzolani Pedro explicou que o castigo surge na sequência do envolvimento deste dirigente em tumultos, no fim do jogo com o 1º de Maio de Benguela.

\"O senhor Ndofula Masidivinga é o roupeiro da nossa equipa. Ele foi punido, porque esteve envolvido na confusão no final do jogo com o 1º de Maio de Benguela. Ele insurgiu-se com o árbitro José Álvaro, que foi o homem que dirigiu o jogo, por causa de algumas falcatruas que o juiz fez durante esse desafio\", aclarou Nzolani Pedro.

Na ocasião, o Santa Rita de Cássia FC perdeu com o 1º de Benguela, por 3-2, depois de estar à frente do marcador por 2-0, num jogo em que os dirigentes da formação uigense queixaram-se da arbitragem, tal como aconteceu  ao longo das últimas seis jornadas da primeira volta do Girabola Zap de 2017.