Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Jogo grande

Betumeleano Ferrão - 09 de Outubro, 2016

O jogo entre polícias e tricolores é o de maior destaque na vigésima sexta jornada do campeonato

Fotografia: M.Machangongo

A capital testemunha hoje à tarde e à  noite dois "dérbis" cheios de aliciantes. Trata-se do Interclube - Petro, às 15 horas, no estádio 22 de Junho, e o  Kabuscorp - Benfica de Luanda, às 18,  nos Coqueiros.

Por causa da questão do título, o jogo entre polícias e tricolores se destaca em relação ao envolvendo os palanquinos e as águias, não obstante serem disputados em horários diferentes.

Os tricolores costumam jogar muito bem no 22 de Junho, mas já uma vez, foi em 2007, saíram de lá afastados da corrida pelo título, devido à derrota por, 1-0, com golo de Hélder.

É este o cenário que o Petro de Luanda vai tentar evitar a todo o custo, para não morrer na praia. A grande recuperação que a equipa de Beto Bianchi tem feito pode começar a se tornar inglória com novo desaire contra os polícias.

A eliminação nas meias-finais da Taça de Angola faz com que os tricolores agora estejam apenas focados no campeonato. A partir de agora, só resta uma única hipótese de conquistar alguma coisa esta época. É uma verdade que o Petro não depende apenas de si mesmo, mas vai manter a esperança se continuar a vencer.

O Petro de Luanda tem hoje à esta a difícil missão de reagir ao desaire na taça, um novo deslize pode fazer com que num curto espaço de dias a equipa fique em xeque.

A boa recuperação efectuada na segunda volta devolveu a esperança aos tricolores, mas a chama que se acendeu, quando menos se esperava, também pode se apagar num instante.

O Interclube tem dois caminhos para chegar à vitória. O jogo apenas começa às 15, mas é ponto assente que os polícias têm de escolher entre atacar ou entregar a iniciativa ao adversário.

A obrigação de vencer está mais do lado do Petro de Luanda, pelo que os donos de casa entram com algum alívio porque vão ter espaço e tempo para fazer o seu jogo.

As duas equipas trocaram de papeis na segunda volta, o Petro de Luanda está num nível muito superior, mas o Interclube pode aplicar uma dose dupla aos tricolores.

O golpe de eficácia, principal arma dos polícias na temporada, colocou o emblema patrocinado pelo Ministério do Interior nos lugares cimeiros da classificação. Por esta razão, quem está entre os cinco primeiros, mesmo com menos golos do que jornadas, é sempre um adversário a ter em conta.

O Kabuscorp do Palanca mudou de discurso porque na jornada passada perdeu, em definitivo, o comboio do título, mas nada nem ninguém tira o direito aos palanquinos de  manter a ambição de amealhar o maior número possível de pontos até ao fim do campeonato.

Os palanquinos ainda estão a "lamber as feridas da desilusão", uma situação que pode ser muito bem explorada pelo Benfica de Luanda. Este tem alternado muito o bom com o mau ,mas ainda é capaz de rapinar pontos quando menos se espera.

As duas equipas têm tido rendimentos diferentes no campeonato, mas ambas são equivalentes.

A qualidade individual e colectiva "mora" nas mesmas proporções, nos dois planteis. Mas nada melhor do que esperar pelos 90 minutos do jogo para ver quem vai tirar melhor proveito dos seus trunfos.

 O estádio dos Coqueiros pode não testemunhar uma "jogatana", mas há motivos para acreditar que palanquinos e águias são capazes de cozinhar bons nacos de futebol. É possível que haja alternância no comando do jogo, mas o que poucos esperam é que o dérbi termine com um resultado desnivelado.    


CASA ALHEIA
Tricolores vão à “visita” para ganhar


Nas hostes do Petro de Luanda o moral é altíssimo devido à forma como o "grupo" enfrentou e derrotou, na jornada anterior, a popular equipa do  Kabuscorp, por magro 1-0, mas suficiente para fazer acreditar noutra vitória hoje na casa dos polícias.

É certo que os "policias" vê de um triunfo (2-1) sobre os petrolíferos na primeira volta. Vendo, porém, a prestação das duas equipas até agora, os tricolores estão mais embalados.

Estão embalados em tudo. Nos golos marcados e nas posições. Tem o Petro de Luanda nove vitórias em casa, dois empates uma derrota, dezoito golos marcados e a penas cinco sofridos.

Fora de portas, em treze jogos, a produção petrolífera é, até ao momento, de seis vitórias, quatro empates e três derrotas. Esta prestação, que a permite estar na segunda posição superam, de longe, o que o Interclube d e Luanda conseguiu, se conferidas até à esta vigésima sexta jornada. Basta olhar...na tabela!


DISPOSIÇÃO
Polícias prontos a “ apagar” ataque petrolífero


O médio ofensivo, do Interclube, Karanga, adaptado à lateral direito, é a principal  ausência da sua equipa, para o confronto o  com Petro de Luanda, hoje  à partir das 15h30,  no estádio 22 de Junho, referente à 26ª jornada  do Girabola ZAP.

  O atleta  não recuperou  da da distensão muscular  que padece há mais de três semanas, tendo realizado os últimos  jogos nesta condição.

  Por outro lado deixaram o departamento medico, quatro  jogadores  fundamentais nomeadamente, Pirolito, Cachi, Jaime Poulson e Fabricio, que devem entrar de inicio  neste  jogo contra o Petro de Luanda.

O médio Paty, que foi diagnosticado paludismo, no início  desta semana, está completamente recuperado. Ontem o atleta treinou sem qualquer limitação e mostrou que está pronto para dar o seu contributo na partida com os petrolíferos.

Com todos os objectivos traçados já "perdidos",  os polícias lutam agora  para melhorar  o quinto  lugar alcançado no campeonato passado. E, por aquilo que podemos observar, o técnico vai apostar num onze ofensivo e batalhador.

Por esta razão, devem  formar o "onzo" inicial Neblu, Chora, Filipe, Fabrício, Valdez, Pirolito, Paty, Crist ou Dasfaa,  Paz, Pulson e Moco.

Deste lote de jogadores o técnico trabalhou mais com os atacantes, no sentido de os mesmo começarem a marcar golos, já diante do Petro de Luanda, que   vem de uma vitoria  sobre o Kabuscorp do Palanca.                        VK