Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Johnson falha jogo decisivo

Augusto Panzo - 05 de Novembro, 2016

Aviadores decidem hoje à tarde nos Coqueiros continuidade no Campeonato da Primeira Divisão frente ao 4 de Abril

Fotografia: José Soares

O defesa central Johnson do Atlético Sport Aviação (ASA) é a grande baixa no plantel aviador para o embate de vida ou morte que o conjunto treinado por José de Carvalho "Corola" tem hoje, às 15h30, no Estádio dos Coqueiros, diante do 4 de Abril do Cuando Cubango, soube o Jornal dos Desportos, de Nzinga Toko, fisioterapeuta do clube do aeroporto.

"Temos uma baixa influente no plantel. Não vamos contar com o defesa central Johnson, por causa de uma contusão que sofreu no joelho esquerdo durante o jogo com o 1º de Agosto. Tentámos tudo, mas acredito que o jogador não vai a tempo de recuperar para defrontar amanhã (hoje) o 4 de Abril", disse o fisioterapeuta.

Johnson foi um dos jogadores mais influentes no eixo defensivo do ASA ao longo da presente temporada, onde revezava com Kialunda e Josemar, que são os seus companheiros naquele sector.

O jogador foi dos mais utilizados durante a competição, ao lado do guarda-redes Maguette, e do médio ofensivo Guelor.

Com ou sem Johnson em campo, a intenção é evitar que o ASA desça de divisão,  a tarefa mais concreta que os jogadores da equipa do aeroporto têm esta tarde. Em função do desiderato, o treinador -adjunto Sérgio Pedro "Serginho" considera o duelo desta tarde como um jogo decisivo para as duas equipas que entram em campo, na medida em que só a vitória interessa a cada uma delas.

"Vai ser um jogo decisivo para as duas equipas, em que vamos fazer o melhor para conquistarmos os três pontos, e continuar a sonhar com a permanência no Girabola. Não vai ser fácil, é uma tarefa que se torna necessária vencermos", revelou.

Serginho acrescentou que os seus pupilos estão conscientes disso, razão por que acredita  na permanência do ASA na grande festa futebolística nacional, aliás, para si é ponto assente.

"Os nossos jogadores estão motivados,  têm a noção de que só com a vitória é que o ASA  assegura a manutenção na alta montra futebolística do país. Então, a partir dessa ideia, acredito que os nossos jogadores vão agir em campo, para garantirem a permanência da equipa",  concluiu.


CAPITÃO BORRA  •4 DE ABRIL 
“Vamos lutar até ao fim”


A equipa do 4 de Abril do Cuando Cubango atravessa sérias dificuldades, como o não pagamento de salários há quatro meses e prémios de jogo, motivado pela crise financeira que a direcção do clube vive. Contudo, isso, não constitui obstáculo para a conquista de um bom resultado no jogo com o ASA (empate ou vitória serve) marcado para hoje, às 15h30, no Estádio dos Coqueiros, e garantir a permanência no Girabola Zap, segundo o capitão Vitoriano Pedro “Borra”.

O jogador Borra disse ao Jornal dos Desportos, em Menongue, que os jogadores do 4 de Abril vão entrar em campo como "autênticos guerreiros", suar às estopinhas e lutar por uma vitória, ou no mínimo um empate, para homenagearem todos aqueles que desde o início do campeonato acreditaram na equipa. 

“Somos guerreiros, porque apesar dos constrangimentos, o grupo continua unido e munido de um espírito de vitória para salvar o 4 de Abril, um facto inédito na história do futebol angolano, uma vez que as anteriores equipas da província que militaram na primeira divisão nunca asseguraram a sua permanência, motivo pelo qual vamos lutar até o fim, ou seja, jogar mano a mano com o ASA”, disse.

O treinador do 4 de Abril, João Machado, que vai no terceiro ano no comando da equipa das terras do progresso, sublinhou que apesar de não ganhar em casa diante do Interclube, o estado de espírito no seio dos jogadores é positivo e estão preparados para defrontar o ASA com “unhas e dentes”.

Para conquistar  a vitória diante dos aviadores, Borra assegura que vão ser muito disciplinados tacticamente, vão ser fortes e determinados, pois só assim conseguem  brindar a população do Cuando Cubango com a permanência no Girabola Zap.

“É mais um jogo difícil, com um dos grandes clubes do Girabola Zap, e apesar de nos encontrarmos melhor posicionados na tabela classificativa, é necessário termos muita cautela defensiva e lutar para a conquista dos três ou um ponto”, disse.
LOURENÇO BULE, EM MENONGUE