Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Jornada de deciso

04 de Outubro, 2015

Libolo pode festejar o ttulo fora de casa

Fotografia: Jos Soares

O Recreativo do Libolo encara o jogo desta tarde, frente ao FC Bravos do Maquis, no estádio Mundunduleno, com muitas cautelas, mas com força e determinação com vista à conquista do campeonato nacional de futebol.

Depois de adiar a consagração em casa, na jornada passada, por culpa do Recreativo da Caála que não quis participar da festa, ao impor um rigoroso empate a uma bola, a formação de Calulo precisa de um ponto  para revalidar o título.

O estado anímico do conjunto libolense, é dos melhores, e o plantel acredita que podem fazer a festa hoje, no Moxico, para evitar uma maior pressão na última ronda em casa, quando receber a irrequieta Académica do Lobito, adversário que precisa de também de pontos para garantir a manutenção.

O treinador João Paulo Costa, apesar de continuar preocupado com sector defensivo e atacante, onde foi visível a insistência da equipa técnica nas duas últimas sessões de treino, para a melhoria da finalização, sobretudo, nas acções de ataque sem descurar a defesa, está confiante.

No final da última preparação, o capitão Sidnei adiantou à Angop,  que a equipa trabalhou no máximo da sua força, com vista a contrapor o Bravos Maquis, em sua casa.

"Vamos para o Moxico com espírito ganhador, por isso, estamos motivados e determinados para este jogo, que pode ditar o desfecho do campeonato", disse.

Salientou que não vai ser um jogo fácil, "temos respeito pelo adversário, mas a determinação e o espírito de luta de toda a equipa é a arma principal para se vencer este jogo", sublinhou.


MANUTENÇÃO

Maquis mantém sonho


A depender ainda mais de terceiros, após a derrota (0-1) frente ao Sagrada Esperança, o plantel do FC Bravos do Maquis está ciente de que não pode facilitar na recepção à equipa da Cuanza Sul, para não comprometer ainda mais o seu futuro no Girabola.

A missão dos maquisardes, afigura-se difícil, para os objectivos que pretendem. Contudo, vencer o Libolo não é uma  tarefa fácil e muito menos impossível, mas a julgar pela pretensão do adversário, podemos afirmar que é uma empreitada complicada.

A formação, dirigida por Alberto Cardeau sabe, que para continuar a manter o sonho da manutenção, só a vitória interessa nos dois últimos jogos, e apostar para que os seus mais directos concorrentes percam pontos.

Contas à parte, a equipa do Moxico armou uma “estratégia demolidora” para vencer o Libolo. Preocupado com a sua situação da equipa e a fraca produtividade no ataque, o técnico voltou a mostrar aos seus rapazes o caminho dos golos, que agora no final da prova tendem a jogar mais com o coração do que com a cabeça, próprio da pressão que vivem.

É uma ponta final escaldante, para o Maquis, que vive um dos piores momentos da sua história, depois da Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas, retirar o patrocínio.
                  Daniel Melgas - Luena