Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Jornada sem clssico tem drbi e outros atractivos

22 de Dezembro, 2018

Se dependesse das bancadas, j tinha chicotada psicolgica, mas uma vitria caseira pode sossegar, por enquanto, os descontentes.

Fotografia: M.Machangongo | Edies Novembro

As Afrotaças adiaram o clássico nacional, para data indefinida. Ainda assim, os adeptos do futebol têm motivos para estarem alegres, porque a ronda tem outros jogos, capazes de provocar curto - circuito, como o dérbi Interclube - Progresso, ou o encontro de campeões entre o Kabuscorp e o Libolo, além do Desportivo - Académica, o dia de amanhã reserva ASA - Santa Rita.
Nenhum dos jogos a disputar  influencia no topo da classificação, mas é fica claro que nada vai ser o mesmo no final entre polícias e sambilas às 15h30,  no Estádio 22 de Junho, duas equipas com percursos diferentes mergulhados na mesma realidade.
A formação do Rocha Pinto  esforça-se para inverter o quadro actual, contudo, demoram a mostrar a credencial de candidato, pelo que têm de correr mais, para que os adversários párem de menosprezar a sua autoridade em campo.
A equipa do Sambizanga enfrenta jornadas \'infernais\', de forma consecutiva  medem forças só com equipas de Luanda. Um calendário nada favorável, pois, são jogos carregados de extras, que tanto pode ser positivo ou negativo, a depender do resultado final.
A moda dos derbies, vem em pior altura para o Progresso, mas há  motivos para acreditar que o plantel não se deixa abater por questões de bastidores. Quanto mais vitorioso for, mais chances tem de ver outra porta a abrir-se, vão  então ver, que o Interclube continue de prevenção, porque tem qualidade suficiente para fazer estragos no Estádio 22 de Junho.
A jornada abre esta tarde às 15h00, com dois jogos que vão mexer com o Leste. O Sagrada recebe o Sporting, um embate de prognóstico imprevisível, dada a intermitência dos contendores. Os diamantíferos estão longe de serem a equipa capaz de intimidar o seu oponente.
O mesmo sucede com os leões, as coisas boas demoram a chegar aos balneários dos contendores. Ainda assim, há uma incógnita no ar, que tem de aguardar até o fim, para ficar resolvida. O resultado pode ajudar a perceber a nitidez do brilho dos diamantes no campeonato, ou se o rugido do adversário, demonstra uma recuperar à boa forma da época passada.
À mesma hora, no Mundunduleno, o FC Bravos do Maquis vai martelar mais um \"prego no caixão\" do Saurimo FC. Os dois vizinhos têm motivos diferentes, porém, ambicionam a vitória. Os maquisardes tiveram, há duas jornadas, um dia bom, a fartura tem limites, seja lá qual for o adversário.
Do lado oposto, os lundas têm mais uma razão adicional para aumentarem o labor em campo. Nada de bom está a acontecer, até ao momento, mas isso, de modo algum significa que a sina dos ex-pupilos de Kito seja de alternar,  jornada a jornada,  um dia que até pode ser hoje, a bonança vai chegar.
O Desportivo da Huíla e a Académica do Lobito estão separados por quatro lugares, mas a escassos dois pontos. O mau começo dos contendores está evidente no fraco desempenho.
À entrada da 8ª. jornada, os militares têm dez pontos, os estudantes têm oito, ainda assim, há razões para considerar que estamos em presença de um jogo de alto risco entre duas equipas, que entram no Girabola com o mesmo objectivo e  quem vencer vai ganhar uma vantagem, capaz de fazer a diferença nas contas finais.
A questão do título fez o Kabuscorp do Palanca e o Recreativo do Libolo reivindicarem um lugar cativo, no comboio dos candidatos, até agora nenhum deles justifica com resultados e exibições, por que é que merecem  tratamento diferenciado.
E, para piorar, esta noite, a partir das18h00 nos Coqueiros, palanquinos e libolenses têm de fazer pela vida, para saírem do que se espera de um jogo interessante, com o melhor resultado possível. Atrasados, como estão, começam a ficar sem margens para erro.
A equipa orientada por Paulo Torres, às vezes faz resultados favoráveis contra os seus adversários, mas ainda estão longe da regularidade que caracteriza os verdadeiros candidatos. Mais atrasados e pressionados, a equipa de Calulo tem de correr para a reabilitação. Um triunfo, fora de casa, pode ser o que a equipa precisa para mudar em definitivo a sua prestação no campeonato.
O ASA tem deixado bons indicadores, mas volta rápido ao chão. Amanhã, a partir das 15h00 nos Coqueiros, recebem a visita do intermitente Santa Rita, e nem por isso, podem lançar já foguetes, porque os “católicos” são capazes de tudo. As mudanças, no comando técnico, não mudaram em definitivo os maus hábitos dos “católicos”, mas se o dia for fértil talvez  surpreendam.
A precisar, à todo o custo, de uma vitória real, sem a ajuda da secretaria, o Clube Recreativo da Caála vai a julgamento perante os seus adeptos, às 15h00 no Estádio da Caála. O Cuando Cubango FC está melhor no campeonato e pode agudizar o mal-estar entre os adeptos e o técnico David, a quem os aficionados culpam-no pelo mau desempenho no Girabola. Se dependesse das bancadas, já tinha chicotada psicológica, mas uma vitória caseira pode sossegar, por enquanto, os descontentes.