Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Jovic aponta ataque como prioritário

Jorge Neto - 24 de Novembro, 2016

Transferência de Ary Papel e Gelson deixa plantel militar fragilizado

Fotografia: Vigas Purificação

O técnico do 1º de Agosto, Dragan Jovic, afirmou que os três sectores da equipa vão ser reforçados, principalmente o ataque, para colmatar às saídas dos dois jogadores mais influentes, Ary Papel e Gelson, que vão abraçar novos desafios nas suas carreiras. O timoneiro militar que conquistou o 10º título de campeão nacional, no récem -terminado Girabola Zap, vai apostar forte no reforço do plantel rubro - negro sem descartar os outros sectores.

"Vamos reforçar a nossa equipa em todos os sectores, primeiro, começamos com a defesa, a seguir o meio -campo e depois o ataque. Obviamente, agora, sem o Ary Papel e o Gelson precisamos de reforçar o ataque", disse o técnico à margem do encontro com o ministro da Defesa, João Lourenço, em que os campeões nacionais receberem às faixas e a Taça correspondente, ao título conquistado.

Dragan Jovic afirmou que a equipa aos poucos preparou-se para dar resposta às saídas dos dois jogadores mais influentes  do plantel, de modos a garantir um bom desempenho dos campeões nacionais, na próxima época. "Nós já esperávamos por essa situação, e preparamo-nos para isso.Escolhemos alguns bons jogadores, que vão satisfazer os nossos adeptos", disse o bósnio, que não abriu o jogo quanto aos nomes, adiantou apenas que "os jogadores são angolanos e alguns de fora de Angola", concluiu.

O técnico do 1º de Agosto viajou de férias na segunda-feira, regressa ao país em Janeiro para abertura das oficinais no dia 5 de Janeiro, com em vista a próxima época, em que vão  estar envolvidos em três competições, Liga dos Clubes Campeões Africanos, Girabola Zap e Taça de Angola. Antes da viajem, o técnico de 53 anos renovou o contrato com o clube militar por mais um ano, o terceiro desde que assumiu o comando da equipa, a meio da época de 2014, em substituição do moçambicano, Daúto Faquirá.  Jorge Neto

AFROTAÇAS
Competições começam em Fevereiro


Os representantes angolanos nas Afrotaças, 1º de Agosto (campeão) e o Recreativo do Libolo (vencedor da Taça), começam a competir em Fevereiro do próximo ano, na Liga dos Clubes Campeões Africanos e Taça Nelson Mandela (CAF), respectivamente, apurou à Angop.Segundo o calendário da prova continental, dado a conhecer, em Luanda, no encontro entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e clubes nacionais, realizado terça-feira, a primeira “mão” das preliminares realiza-se entre os dias 10, 11 e 12 de Fevereiro.

Os 16 avos de final da referida competição acontece nos dias 10, 11 e 12 de Março, enquanto que os oitavos, de acesso à fase de grupos, será em sete, oito e nove de Abril. Quanto ao campeão nacional, nove anos depois, o 1º de Agosto regressa ao convívio dos grandes do continente africano, na qualidade de titular do Campeonato angolano (Girabola2016) em representação do país na Liga dos Clubes Campeões, a disputar-se em 2017, em que já chegou a uma final, em 1999, diante do Esperance de Tunis, da Tunísia. 

Agora orientado pelo treinador bósnio Jovic Dragan, a formação “militar” conseguiu o feito, ao vencer a prova da primeira divisão (Girabola2016), em que destronou do título o Recreativo do Libolo do Cuanza Sul. A equipa do “rio seco” esteve na competição continental, em 2014, na qualidade de segundo classificado, quando o país ainda era beneficiado da participação com mais de uma equipa, pela Confederação Africana de Futebol (CAF), dado os resultados positivos das equipas angolanas nas afrotaças.

Já o Recreativo do Libolo, apesar de perder o título, ao conquistar de forma inédita a Taça de Angola, diante do Progresso Sambizanga, por 2-1 (no prolongamento), no estádio 11 de Novembro, manteve a presença regular nas Afrotaças.   Na edição passada Angola esteve representada pelo Recreativo do Libolo, que na disputa de acesso à fase de grupos se viu arredado pelo Al Ahly do Egípto, no princípio deste ano.Na Taça Continental esteve o Sagrada Esperança da Lunda Norte, que havia substituído o FC Bravos do Maquis, que cedeu o seu lugar ao finalista derrotado da Taça de Angola, por dificuldades financeiras.