Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabu corre atrs do prejuzo

Pedro Augusto - 01 de Julho, 2017

Palanquinos e maquisardes derrotados na anterior ronda da competio

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

Com os jogos Interclube - Petro e Libolo - Progresso adiados devido aos compromissos da selecção nacional de honras, que se encontra na África do Sul a preparar-se para o desafio da eliminatória de acesso à fase final do CHAN 2018, depois de ter competido e sido eliminada da Taça COSAFA, a 18ª jornada do Girabola Zap começa a ser disputada hoje à tarde, em três campos do país, com o Kabuscorp do Palanca - FC Bravos do Maquis às 17h00, no Estádio 11 de Novembro, no centro das atenções.

Palanquinos e maquisardes obtiveram resultados negativos na ronda passada, diante do Desportivo da Huíla, no Lubango, e do Atlético Sport Aviação (ASA), no Luena, resultados que demonstram  fraco vigor de ambas equipas, na etapa derradeira do campeonato, principalmente, por perderem pontos com equipas que atravessam dificuldades no campeonato.

A condição de visitado e por ser candidato ao título, dá mais chances ao Kabuscorp de conquistar os três pontos. Ainda assim, não basta para ser favorito, pois o querer não é poder, e a equipa de Romeu Filemon é obrigada a ser competente para  superar o também ambicioso Maquis. 

A equipa dos Bravos do Maquis,  desde à assumpção do comando pelo treinador Zeca Amaral,  alterna o mau com o razoável. Ou seja,  demoram os maquisardes jogar à imagem do seu técnico, que levam muitos \"experts\" a questionar se valeu a pena a direcção de Docas Quitadica trocar de direcção técnica.

O facto do Petro de Luanda e o 1º de Agosto levarem vantagem de quatro pontos (os tricolores têm menos um jogo), obriga o Kabuscorp do Palanca a jogar forte e vitorioso está tarde,  sob pena de ver os potenciais concorrentes a esticarem para dez (tricolores) e sete (militares) a diferença pontual, que acarreta consequências para as contas a serem feitas no fim. 

O mesmo se diz em relação ao Maquis. O décimo posto que ocupa na tabela de classificação, com 19 pontos, não condiz com o estatuto da equipa do leste. Depois do desaire caseiro com os aviadores, os maquisardes estão igualmente proibidos de falhar a \"Operação Palanca\".

O técnico Zeca Amaral tem consciência disso. Aliás, um novo deslize esta tarde, no Estádio 11 de Novembro, pode fazer com que os maquisardes sejam ultrapassados na classificação pelo Atlético Sport Aviação (ASA), e igualados pelo Progresso da Lunda Sul, no caso de vitórias sobre o Sagrada Esperança (jogam na terça-feira) e o Santa Rita de Cássia (hoje).

ROMEU FILEMON
“Acredito que desta vez será diferente


O técnico do Kabuscorp do Palanca, Romeu  Filemon, disse ontem ao Jornal dos Desportos, em Luanda, esperar por um jogo difícil hoje a partir das 17h00 no Estádio 11 de Novembro, diante do FC Bravos do Maquis, no arranque da 18ª jornada do Girabola Zap 2017.
\"As duas equipas vêem de derrotas nas jornadas anteriores, trazem o orgulho ferido, por isso, estamos cientes que quer nós (Kabuscorp) como o Maquis, tudo vão fazer para regressarem às vitórias. Deste modo, esperamos por um jogo difícil e a jogar em nossa casa não queremos outro resultado, que não seja a vitória \", disse.

Filemon lamentou os desaires da equipa nas jornadas passadas. A seu ver, as derrotas   atrapalharam o embalo que o grupo pretende para os seus objectivos. \"É claro que não foi isso que traçamos, vimos uma equipa muito apática nos dois  jogos, e nesta esteira, conversamos com os atletas para mudarmos o quadro, e acredito que deste vez será diferente, embora, seja uma tarefa  difícil\", asseverou.

O técnico adiantou, que ao longo da semana, fez um trabalho profundo em todas as vertentes, com realce para o sector atacante que a seu ver está a ser perdulário, mesmo com um ponta de lance da estirpe do Jacques, com faro para o golo. \"A equipa cria muitas oportunidades de golo, infelizmente, continuamos perdulários. O nosso melhor marcador, o Jacques, deixou de marcar faz tempo, mas pelo potencial acreditamos que a breve trecho volte a ser fugaz\", disse.

O estado clínico do grupo mereceu avaliação positiva da parte de Filemon, que minimizou os ausentes, quer os que estão ao serviço da selecção nacional, como os impedidos de jogar por razões disciplinares. \"À excepção de Tobias, com ligeiras dores na anca, o grupo goza de boa saúde. É certo que temos ausentes, por expulsão e em serviço, mas nós estamos firmes, cientes que temos um plantel vasto, suficiente para colmatar as lacunas \", disse.                       
MN