Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp confirma bom momento de forma

Paulo Caculo - 24 de Dezembro, 2018

Fotografia: Kindala Manuel | Edies Novembro

A equipa do Kabuscorp do Palanca confirmou na  terça-feira, no jogo com o Progresso do Sambizanga, que se disputou no Estádio dos Coqueiros, a boa fase que atravessa neste começo de Campeonato, à entrada da 8ª jornada.
Os palanquinos, depois de um ciclo de resultados intermitentes e menos conseguidos, que gerou um clima de instabilidade no seio dos jogadores, voltaram a dar provas de recuperação da força colectiva e solidez competitiva, ao alcançarem a segunda vitória consecutiva.
Diante do conjunto do Progresso, que vinha de duas vitórias e quatro empates, o Kabuscorp soube justificar a superioridade e o favoritismo inicialmente atribuídos, ao construir um triunfo que nunca inspirou cuidados.
Paulo Torres pode ter razão, ao afirmar que tudo não passava de uma questão de tempo,  que a equipa rapidamente ia reencontrar-se. Entretanto, o técnico palanquino teve de sujeitar-se à pressão da massa adepta que pouco acreditava que o conjunto fosse capaz de dar resposta positiva aos anseios.
O empate (1-1) averbado pela equipa, na primeira jornada, diante do Cuando Cubango FC, formação que acabava de chegar da segunda divisão, levantou algumas dúvidas em relação à capacidade do Kabuscorp reagir às adversidades.
Contudo, o facto é que na jornada seguinte, frente ao difícil Interclube, os palanquinos  mostraram aos adeptos que continuavam “vivos” e que a “procissão estava ainda no adro”. A vitória (2-1) ajudou a devolver a crença e a elevar as expectativas, num campeonato ao nível do desejado, devido à exigente massa associativa do Palanca.
Contra todas às expectativas, na terceira jornada, no Lubango, o Kabuscorp averbava a primeira derrota (1-2) no campeonato, numa altura em que todos acreditavam que depois da exibição convincente e muito bem conseguida diante do Interclube, o jogo da Huíla eram “favas contadas”.
A nova derrota (0-1) com o ASA, na quarta jornada, em Luanda, veio agudizar a crise de resultados positivos do conjunto do Palanca, que na ronda a seguir com o Santa Rita de Cássia viria a falhar a redenção, após empate (1-1) no Estádio 4 de Janeiro, no Uíge.
À entrada da sexta jornada, Paulo Torres disse basta, à fase negativa, exigiu da equipa uma reacção à altura. Inovou o “onze” e a estratégia, atitudes que  vieram a coroar de êxitos.
Quis o destino, que a primeira vítima do “renovado” Kabuscorp fosse a Académica do Lobito. O estudantes sentiram a avalanche ofensiva dos palanquinos, consentiram uma gorda derrota (1-3), no Estádio dos Coqueiros, em Luanda.
De resto, na terça-feira, para a sétima jornada, a atitude da equipa do Palanca não foi diferente. Aliás, confirmou o período de graça que atravessa o conjunto,  às ordens de Paulo Torres, no campeonato. Os palanquinos, a julgar pelas declarações do treinador, esperam não voltar a perder de vista os lugares do topo, sob o risco de verem-se novamente relegados ao meio da tabela de classificação.
O Kabuscorp é provisoriamente o segundo colocado do campeonato, com 11 pontos, fruto de três vitórias, dois empates e igual número de derrotas.