Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp e 1 de Agosto ameaam Benfica de Luanda

Teixeira Cndido - 30 de Agosto, 2015

Equipa treinada por Miller Gomes (Kabuscorp) tem oportunidade para colocar presso nos ombros do Benfica de Luanda

Fotografia: Jos Soares

Quatro jogos fecham hoje à tarde à 24ª jornada do Girabola 2015, aberta sexta-feira com o empate (2-2) entre as equipas do Benfica de Luanda e do Progresso da Lunda Sul. O destaque vai para o Kabuscorp do Palanca - Sagrada Esperança e 1º de Agosto - Sporting de Cabinda.

Kabuscorp do Palanca e 1º de Agosto têm a oportunidade para encurtarem a diferença pontual que os separa do Benfica de Luanda, segundo colocado. Os encarnados consentiram um comprometedor empate e abriram alas para palanquinos e militares.

A vantagem do Benfica pode encurtar para dois pontos, em caso de vitória do Kabuscorp e do 1º de Agosto. Coincidência ou não, palanquinos e militares defrontam adversários que se encontram aflitos, ou seja, na zona de despromoção. Não se afigura um jogo fácil quer para uma, quer para outra.

No Estádio dos Coqueiros, às 16h00, o Kabuscorp do Palanca terá como adversário o Sagrada Esperança, equipa desesperada para fugir da penúltima posição que ocupa, com 22 pontos. A segunda volta estar ser um martírio para os lundas.

Em oito partidas, o Sagrada Esperança somou três pontos, resultante de três empates e consentiu cinco derrotas. Ou seja, desperdiçou 21 pontos. Com seis jornadas que restam para o final da competição (sem contar está em marcha), os diamantíferos estão obrigados a somar em todos os jogos sob pena de visitarem mais uma vez a Segunda Divisão.
Pela frente tem um adversário com ambições de chegar pelo menos ao segundo lugar. Não está sozinho na luta, são três equipas que discutem a mesma posição, com o Benfica no comando do trio. Os militares completam o grupo.

A formação do Rio Seco também lhe aguarda um jogo complicado frente ao Sporting de Cabinda, apesar de ser em Luanda. Os leões do Norte têm sabido jogar em qualquer terreno, sempre desinibidos. Na primeira volta protagonizaram uma surpresa ao alcance de poucos: ganhar o Recreativo do Libolo em Calulo.

Os leões são os únicos que bateram até ao momento o Recreativo do Libolo, o que traduz bem a sua capacidade competitiva nos jogos fora de casa. O Benfica de Luanda sofreu não faz muito tempo para vencer o Sporting, por isso não se espera outra coisa para os militares.

Não se retira de modo algum favoritismo aos militares, uma equipa mais competitiva e com um ataque que assusta qualquer defesa. Porém, o Sporting de Cabinda já demonstrou ter qualidade para discutir os três pontos com o 1º de Agosto.

CR DA CAÁLA VS ASA
Aviadores procuram tranquilidade no Huambo

O Recreativo da Caála defronta hoje, às 15h30, no Huambo, o Atlético Sport Aviação (ASA), duas equipas que estão a fazer uma trajectória ascendente na competição. Os caalenses recuperaram de uma despromoção anunciada e está mais perto de continuar na priva maior do futebol nacional.

Do lado dos aviadores a situação é mais confortável se comparado com o seu adversário. Ou seja, a equipa orientada pelo treinador brasileiro Roberto do Carmo "Robertinho" tem todas as possibilidades de se manter na Primeira Divisão. Em 18 pontos que ainda restam disputar no Girabola 2015, os aviadores precisam apenas de seis, excluindo das contas a partida de hoje.

Por parte do Recreativo da Caála serão necessários mais dez pontos para a equipa ficar tranquila na competição. Em caso de vitória esta tarde iguala os aviadores na classificação e encurta o esforço para se manter na prova. É um jogo que clama por atenção em razão desse conflito de interesses.

No estádio do Dande, no Bengo, o Domant FC começa a despedir-se dos seus adeptos, depois de uma experiência mal sucedida. Um arranque prometedor, traduziu a ideia de que a equipa do Bula Atumba podia discutir a permanência no Girabola, mas foi sol de pouca dura. A crise na direcção técnica, com a saída de Paulo Saraiva, inverteu a perspectiva inicial e resta-lhe apenas o cumprimento do calendário.
TC