Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp e Petro travam duelo de tits

Paulo Caculo - 13 de Abril, 2019

Palanquinos e tricolores centralizam as atenes dos adeptos esta tarde no estdio 11 de Novembro

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

Kabuscorp do Palanca e Petro de Luanda protagonizam hoje, às 17H30, no estádio 11 de Novembro, o desafio de maior cartaz da vigésima quarta jornada do Girabola Zap, aberta ontem, no Lubango, com a recepção do Desportivo da Huíla ao Progresso do Sambizanga.Separados na tabela de classificação por uma distância de onze pontos, tendo o clube do Palanca perdido nove pontos na secretaria por decisão da Federação, Kabuscorp (5º/31 pontos) e Petro (2º/42), ostentam qualidade e argumentos suficientes, para brindarem os respectivos adeptos com um espectáculo de futebol ao nível do grau de exigências.

O histórico de confronto entre ambos pende para o equilíbrio, tendo o conjunto tricolor derrotado a turma do Palanca por 2-0 no embate da primeira volta. E como não existem jogos iguais e ambas as equipas cumprem percursos completamente distintos, pode-se antever por um confronto com elevados índices de dificuldades para ambas as equipas e cujo desfecho será, seguramente, imprevisível.

A alimentar o interesse deste jogo está o facto de, por um lado, o Petro precisar dos três pontos como se do «pão para a boca» se tratasse, na discussão pelo título do campeonato e, por outro, o Kabuscorp pretender regressar às vitórias, de formas a manter acesa a ambição pelo segundo lugar, meta que pode alcançar, sobretudo caso recupere os nove pontos perdidos na secretária da Federação.

Embalando nesta visão, aguarda-se por um duelo entre palanquinos e petrolíferos, em que a alternância pela posse da bola e da criação ou disposição de oportunidades de golo será, irremediavelmente, a nota predominante. Em confronto estarão, igualmente, um dos melhores ataques do campeonato, contra uma das defesas menos batidas da competição.

 

MAIS JOGOS

Uma «mão cheia» de jogos estão igualmente agendados para esta tarde, nos variados relvados do país. No estádio 22 de Junho, às 15H30, o Interclube  recepciona o Recreativo do Libolo embalado pelas últimas duas vitórias. Ou seja, os polícias esperam confirmar, em casa, que atravessam um bom momento nesta fase da prova, em que aspiram alcançar o terceiro triunfo consecutivo.

Mas, para tal, o conjunto da Polícia precisará de provar que ostenta maiores argumentos que a agremiação de Calulo, que encara este desafio com a necessidade imperiosa de somar os pontos em discussão, de formas a redimir-se das duas últimas jornadas, em que amealhou apenas um ponto dos seis possíveis. 

O Sagrada Esperança procura inverter a tendência negativa dos últimos jogos, quando receber o Recreativo da Caála, às 15H30, no estádio do Dundo; enquanto o Sporting de Cabinda desloca-se ao Munduduleno, terreno do Bravos do Maquis, às 15 horas. Já o Atlético Sport Aviação (ASA) defronta a Académica do Lobito, nos Coqueiros, às 15H30, ao passo que o Santa Rita do Uíge mede forças com o Cuando Cubango FC, no estádio 4 de Janeiro. 

 

CONCLUSÃO DA JORNADA

A vigésima quarta jornada do Girabola Zap encerra amanhã, às 17H30, no estádio 11 de Novembro, com o líder 1º de Agosto a recepcionar o Saurimo FC, último classificado do campeonato.

Diante do actual «lanterna vermelha» do campeonato, os militares têm mais razões para precaverem-se, sobretudo a julgar pela condição aflita a que se encontram sujeitos os lundas, com risco de serem relegados para o escalão inferior do futebol nacional.Não será, por isso, um jogo fácil para o 1º de Agosto, apesar de que todo o favoritismo é atribuído a si, pela vantagem teórica que ostenta, enquanto campeão em título e líder da competição. Mas, como favoritismos não ganham jogos, a equipa luandense terá de justificar o seu poderio em campo; reunir maiores argumentos que o adversário.

Sobre o Saurimo FC se deve lamentar o facto de, além da posição deplorável que ocupa, estar ainda a enfrentar problemas internos, relativo a ausência de salários e prémios de jogos, facto que pode contribuir para a quebra psicológica dos jogadores.Ainda assim, não se antevê um jogo em que o 1º de Agosto use e abuse da totalidade de posse do esférico e das ocasiões de golo. Ou seja, prevê-se uma equipa do Saurimo FC a discutir a posse de bola e as oportunidades para visar a baliza contrária, com raça e profissionalismo, imbuída do espírito de luta pela honra. 

KABUSCORP
Tresor e Rafa retornam ao “onze”

O "onze " do Kabuscorp do Palanca que hoje, às 17H30, no estádio 11 de Novembro, começa diante do Petro de Luanda pode diferir muito daquela que empatou com o Libolo na jornada anterior. Ou seja, Paulo Torres projecta para a equipa inicial o regresso de três jogadores, com realce para o médio Tresor, que vestiu as cores dos tricolores na época passada.
 Digerido que estão os empates averbados frente ao Progresso e Libolo, nas duas rondas anteriores, os palanquinos partem para este difícil embate com os petrolíferos cientes da necessidade imperiosa de vencerem o jogo, de formas a recuperarem a posição na tabela de classificação.
 Mas não se adivinha fácil a tarefa da equipa de Paulo Torres em tentar roubar os três pontos ao conjunto às ordens de António Cosano, que chega a este duelo extremamente motivado com os triunfos alcançados nos jogos anteriores e que permitiu a aproximação ao líder 1º de Agosto.
 Em face disso e de formas a contrariar o adversário, Paulo Torres pode efectuar alterações ao " onze ", fazendo regressar aos titulares alguns jogadores em bom estado de forma, mas que por opção técnica falharam a presença nas convocatórias anteriores.
 De acordo com o técnico adjunto do Kabuscorp, Marcos Chivinda, a equipa está preparada, moralizada e pronta para discutir os pontos num jogo que acredita ser de inúmeras dificuldades. " A equipa está bem, moralizada e sabe das suas responsabilidade ", comentou. 
\"Sabemos que vamos fazer um jogo diante do Petro que vem de um resultado positivo, mas temos uma identidade própria a cumprir e vamos corresponder dentro daquilo que são as nossas exigências. É um jogo difícil, contra um adversário forte, mas temos também os nossos argumentos para contrariar a avalanche ofensiva do adversário ", disse o «braço direito» de Paulo Torres.
 De resto, salvo alterações de última hora, o " onze " do Kabuscorp não deve diferir muito deste:  JB, Rafa, Simão, Fabrício, Ebunga, Magola, Tresor, Amaro, Cabibi, Lami e Taddy.