Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp e Progresso terminam mais cedo

Betumeleano Ferrão - 03 de Novembro, 2016

Kabuscorp do Palanca e o Progresso da Lunda Sul.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Girabola ZAP termina com um dia de antecedência, para o Kabuscorp do Palanca e o Progresso da Lunda Sul. Por decisão da Federação Angolana de Futebol (FAF), que consta no comunicado Nº. 057/SG/16, as duas equipas defrontam-se amanhã, a partir das 15h30, no Estádio dos Coqueiros.

As referidas equipas estão envolvidas na luta pelo 4º lugar, a Federação não vê nenhum inconveniente que Kabuscorp e Progresso da Lunda Sul terminem o campeonato, com antecedência. Na breve nota que colocou no comunicado, a FAF deixa transparecer  nas entrelinhas,  que levou em conta "as posições e implicações" e as "influências" que o jogo possa ter na classificação final.

O Kabuscorp do Palanca e o Progresso da Lunda Sul são as únicas com chances de garantirem uma posição "honrosa" no pelotão da frente do Girabola ZAP. Os palanquinos vão aos Coqueiros com 3 pontos de vantagem, o que pode ser determinante para confirmar a 4ª posição, diante de um adversário que vem a Luanda com a ambição de alcançar num último esforço, a melhor classificação da sua curta presença no campeonato.

Os palanquinos tinham a reconquista do título como meta, porém, nunca tiveram pedalada para aguentar a cadência do 1º de Agosto, campeão antecipado do Girabola ZAP. A equipa fracassou o objectivo mais importante, é verdade, mas ainda tem a oportunidade de terminar o campeonato com alguma dignidade, atrás dos seus concorrentes directos.

A derrota de 1-0, na primeira volta, é um obstáculo que aparenta ser fácil de contornar para que o Progresso da Lunda Sul volte a fazer história no Girabola. O ano passado, a equipa de Kito Ribeiro  estreou-se na primeira divisão, terminou em 6º lugar. Um triunfo com dois golos de diferença sobre os palanquinos, pode dar aos forasteiros a grande oportunidade de alcançar um feito talvez difícil de repetir, em breve.

O Progresso vem a Luanda atrás da história,  tem alguns trunfos importantes, dentre eles a hipótese de o Kabuscorp voltar a não ser orientado nem por um treinador principal, nem por nenhum técnico -adjunto, como aconteceu, por exemplo em Benguela , contra o 1º de Maio.

A FAF, através do seu Conselho de Disciplina, deliberou contra o Kabuscorp, nos diferendos com alguns antigos treinadores,  Miller Gomes, Mateus Agostinho "Bodunha", Zoran Maki e Adilson Gomes e Luís Cruz. Enquanto os palanquinos não resolverem os passivos, com o quinteto mencionado acima,  ficam sem orientação técnica até a chamada "zona de jogo (balneário e zona de aquecimento", sob pena de "incorrer o clube em multa por incumprimento", adverte a FAF no  comunicado Nº. 057/SG/16.