Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp quebra jejum da segunda volta

Manuel Neto - 16 de Julho, 2017

Palanquinos finalmente dominaram o adversário e cantaram a primeira vitória na segunda volta do campeonato

Fotografia: Vigas da Purificação| Edições Nouvembro

O  Kabuscorp do Palanca  regressou às vitórias ao vencer, ontem, no Estádio dos Coqueiros a equipa da santa Rita de Cássia por 3-1. Os palanquinos, que procuravam a vitoria como pão para boca se tratassse, entraram de rompante e cedo  empurram o adversário ao seu último terço.

No começo, Mussumary  ganhou  a linha do fundo  e num belo cruzamento,  Mongo com um gesto genial abriu o marcador  para os palanquinos. Eram contados dois minutos de jogo. A turma do Uije,  surpreendida com o golo madrugador, tentou abrir mais às suas linhas, mas  as deficiências apresentadas pelo seu sector atacante em nada contribuía para  chegarem ao golo.

Apesar do golo madrugador , os palanquinos  experimentavam algumas dificuldades para   assentar o seu jogo  e os visitantes foram acreditando que  um  resultado  positivo ainda  era possível. Nesta senda, praticavam um futebol vistoso  no seu sector intermediário e quando chegavam  ao ultimo  reduto adversário deixavam em sobressalto os palanquinos e por poucos não chegaram ao empate por falta de sorte. Assustada , a turma do Palanca  puxou dos galões acreditando na sua teórica superioridade.

Subiu as linhas, aumentou o caudal ofensivo e  desta forma, Mongo numa tarde endiabrada,  aos 45 minutos bem servido por Jaques fez o golo da tranquilidade que levou os contendores ao intervalo. Refeitos do cansaço, os visitantes  acreditaram  que nada ainda estava perdido. Por isso, tal como aconteceu  ma primeira parte com o Kabuscorp a marcar cedo, os do  Uíje fizeram a cópia aos 47 minutos  Água Doce aproveitando da melhor maneira um  deslize da  defensiva  contrária , reduz o marcador, devolvendo assim a esperança  aos visitantes.

Os visitados tremeram e jogavam precipitados, mas o adversário não encontrava o caminho certo para baliza. Assim, os palanquinos foram mais audazes , tomaram conta do jogo , com realce para o sector intermediário  que joga com a qualidade e  com este ascendente chegavam alguma facilidade  ao último terço adversário. E mais um  ve,z num lance em   que Mongo disputava a bola,  oumdefensor tocou a bola com a mão e árbitro do encontro não teve dificuldade em  assinalar penálite, que foi bem convertido por Magola aos 67 minutos Estava, deste modo, feito o resultado final.

HOJE
Estudantes e proletários jogam pelo adeus

 
A crise financeira que se faz sentir nas hostes da Académica Petróleos do Lobito e do Estrela 1º de Maio de Benguela, que jogam hoje à tarde entre si para a vigésima jornada do Girabola ZAP no estádio do Buraco,  continua a preocupar grande parte dos aficionados do futebol local, a julgar pelos pronunciamentos proferidos, ao longo da semana, pelos presidentes das referidas agremiações desportivas, a ameaçam retirar a sua equipa do campeonato nacional de futebol da primeira divisão.

Para muitos, o jogo agendado para hoje no estádio do Buraco pode marcar o adeus ao Girabola ZAP. Pelo menos os sinais apontam para esta vertente, tanto é que já se fala de indemnizações dos jogadores e das respectivas equipas técnicas. Os serviços administrativos contados pela nossa reportagem foram accionados para tratar do assunto com alguma celeridade. A coisa não está fácil para os clubes se aguentarem na competição por mais tempo.

A direcção da Académica do Lobito cansou-se esperar pela assistência financeira da patrocinadora oficial, a ESSO Exploration-Angola, via, Sonangol, E.P. por isso, garante que depois do jogo contra o 1º de Maio de Benguela vai anunciar a desistência da prova.
Para já é uma decisão pode beliscar a competição, ferindo daí a verdade desportiva. O 1º de Maio de Benguela pode seguir pelo mesmo caminho.

O seu presidente, Wilson Faria, foi categórico ao afirmar que já não estava disposto a gastar do seu dinheiro para servir ao clube, enquanto existirem pessoas determinadas a inviabilizar todo o trabalho que aí se desenvolve. Para o dirigente proletário, as forças vivas do município deve ajudar a manter a equipa na prova, visto que sozinho, confessou, já não aguenta mais. Por isso, a continuar como está, sem dinheiro para fazer face as necessidades do clube, não vê alternativa senão colocar o seu lugar à disposição da Mesa da Assembleia-geral, presidido pelo jurista Veríssimo Sapalo.

Para lá das cogitações que se vivencia, as duas equipas que se vão confrontar, no Buraco, manifestam-se confiantes na vitória. É o mesmo que dizer querem “despedir-se” em beleza. O técnico principal da Académica do Lobito, José Silvestre \"Pelé\", considerou difícil o jogo no Buraco, ainda acredita no triunfo da sua equipa, que vai contar com o apoio incondicional do seu público.

Com o mesmo propósito está o 1º de Maio de Benguela que, na voz do seu técnico-adjunto, António dos Santos \"Loyo\" o triunfo é o único objectivo da sua equipa que, apesar de actuar num campo, a prior difícil, preparou-se bem e promete não decepcionar a sua massa apoiante que acredita no projecto liderado pela direcção do clube. Nenhum deles quis se pronunciar a respeito da eminente desistência das respectivas equipas no Girabola.

Os mesmos alegam desconhecer tal pretensão, pelo que acreditam estarem a trabalhar e a pensar nos jogos do GirabolaZap2017. \"Não sei de nada e ponto final\", atiraram. O jogo Académica do Lobito e 1º de Maio de Benguela, de hoje à tarde  vai ser mais um daqueles que lembram fraco entusiasmo, face ao ambiente que se vive nos últimos sete dias, com a desconfiança de as equipas locais deixarem de fazer parte da maior festa da bola que o país pode ofereceu aos seus apoiantes. É o GirabolaZap2017 a dizer adeus Benguela.                   
JÚLIO GAIANO , no Buraco

OPINIÃO DOS TÉCNICOS
KABUSCORP
Romeu Filemon

“Fomos  superiores”


“Vencer é sempre bom , sobretudo quando é com alguma superioridade. .Poderíamos ter marcado mais golos, infelizmente tivemos algumas dificuldades. Na segunda parte falamos com os atletas para fechar os pontos fortes do adversário, que estavam em Gazeta e Mavambo, mas ainda assim sofremos um golo daqueles. Mas fomos mais maduros e marcamos um golo penálite  e  a vitória está  bem entregue”              

Santa Rita
Hélder Teixeira 

“ Vamos continuar
a trabalhar” 

“Ao longo da semana fixemos três jogos em poucos dias e acho que isso pesou bastante para o nosso rendimento. Mas, ainda assim, conseguimos  jogar o suficiente para um bom resultado. Acho que houve um penáltie duvidoso que veio complicar tudo numa fase em que ainda acreditávamos no empate. Infelizmente não aconteceu. Por isso,  vamos continuar a trabalhar acreditando que estes rapazes ainda   têm muito para dar”