Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp reduz D!Agosto vulgaridade

23 de Julho, 2009

A goleada que o Kabuscorp do Palanca impôs ontem ao 1º de Agosto, vai certamente perdurar por muito tempo na mente das gentes do Palanca, particularmente daqueles que sofrem e sorriem com os feitos da equipa dia após dia.

A formação do Palanca, é bom que se diga, não tem sido muito feliz nos confrontos com os militares, mas, na partida que ontem levou muita gente aos Coqueiros, as coisas saíram com a perfeição desejada e, logo no primeiro minuto da contenta, começaram a fazer do d’Agosto “gato-sapato” sem qualquer respeito pelo estatuto do adversário, que entrou na partida algo moralizado depois do último resultado na Taça CAF, em que conseguiu um empate com sabor a vitória diante do Stade Malien.

Ao longo de toda a partida viu-se um Kabuscorp, atrevido, que jogou como se aquele fosse o último jogo da sua vida, ante uma equipa militar que ficou atordoada com a entrada fulgurante da equipa do Palanca.

Ontem, os militares parece que confirmaram algo que há muito se dizia em surdina: na presente época futebolística aparecem com duas equipas, uma que nas Afrotaças joga com garra e de peito aberto, conseguindo bons resultados, e outra, que nos jogos do Girabola às vezes se arrasta para conseguir pontuar, não conseguindo aproveitar as oportunidades que o Petro lhe dá para se aproximar da primeira posição, como foi o caso da primeira derrota que o campeão consentiu, frente a este mesmo Kabuscorp, e, mais recentemente, na derrota para o Benfica de Luanda.

O Kabuscorp é que não está para brincadeiras, e Bento Kangamba, não escondendo o sentimento que nutre pelos militares, vai dizendo, certamente, que essas ocasiões são de “amigos, amigos, negócios à parte”, até porque a sua equipa bem precisava dos três pontos para dar um salto na tabela classificativa.

 

Santos derrotado no reduto da Caála

O Santos continua mal no Girabola. A equipa de Mário Calado mantém a alternância de bons e maus resultados e, desta vez, regressou derrotado da sua deslocação ao reduto do Recreativo da Caála, ao perder por uma bola sem resposta.

Este resultado pode fazer soar o alarme nas hostes santistas, pela posição em que se encontram na classificação, integrando um grupo de quatro equipas com os mesmos números de pontos.

Já o Caála pode começar a esboçar estratégias, a partir daqui, para conseguir os pontos para a tranquilidade, se tivermos em conta que o seu principal objectivo é a manutência, neste seu primeiro ano no principal escalão do futebol nacional.