Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kabuscorp regressa s vitrias

Betumeleano Ferro - 31 de Julho, 2016

O Kabuscorp ps fim a srie negra de maus resultados na era Filemon com uma vitria folgada

Fotografia: Santos Pedro

O Kabuscorp do Palanca entrou ontem na segunda parte tão eficaz como terminou a etapa inicial e isso acabou por ser determinante para vencer de maneira folgada ao Porcelana do Cuanza Norte por 3-0. A equipa palanquina teve de esperar até quase ao intervalo para ganhar o gosto de marcar, mas bastou Fundo fazer o 1-0 aos 45+1' para no período complementar Mano e Mussumari verem a luz do túnel para marcar de rajada, aos 69' e 71'.

A vitória gorda do Kabuscorp facilita compreender o que se passou nos Coqueiros, desde o apito inicial que a equipa caseira colocou em prática todas as variantes que tinha ensaiado para se reencontrar em definitivo com os bons resultados.

Sem se deixar intimidar pela aposta clara do adversário no contragolpe, o Kabuscorp teve coragem de correr riscos e mereceu o prémio dos três pontos porque soube sempre o que fazer com ou sem bola. A maneira como geriu bem a posse do esférico impediu que o Porcelana tivesse possibilidades de equilibrar o jogo com rápidas saídas para o contra-ataque.

As duas equipas tentaram seguir à risca o esboço táctico que levaram para os Coqueiros, mas a persistência atacante do Kabuscorp acabou por fazer toda a diferença quando Fundo fez de cabeça o 1-0. A mínima vantagem levada ao intervalo aumentou o espaço para jogar mais à vontade porque o Porcelana estava sob obrigação de reagir para restabelecer a igualdade.

A marcha do marcador na segunda parte deixa ler nas entrelinhas que o Porcelana ficou ansioso demais e se partiu num piscar de olhos. A equipa tentou fazer a sua parte mas acusou o toque no golo inicial, o choque emocional acabou por fazer com que os atletas nunca se reencontrassem em campo para ir em busca do golo do empate.Os golos quase em simultâneo de Mano, de cabeça, e Mussumari, remate rasteiro,  ajudaram o Kabuscorp a matar o jogo muito cedo. Afinal, para chegar no mínimo ao empate seria necessário que o Porcelana arriscasse, até o que não tinha, mas este tipo de atitude suicida apenas facilitaria a vida de quem tinha 3-0 de avanço, pois teria muito possibilidades de ampliar o marcador para 4 ou 5 do que de consentir o empate.