Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

keita aguarda veredicto da FIFA

Betumeleano Ferro - 03 de Setembro, 2015

Senegals aguarda pela resoluo do diferendo com a direco do Petro de Luanda

Fotografia: Jornal dos Desportos

O “Caso Keita” chegou à FIFA em Dezembro, mas até ao momento a FAF não recebeu nenhuma informação relacionada com o litígio entre o avançado e o Petro de Luanda, revelou ao Jornal dos Desportos uma fonte da Federação Angolana de Futebol. "Infelizmente não temos muitos dados para fornecer, a única informação que temos agora é que o diferendo ficou de ser dirimido pela Comissão do Estatuto do Jogador da FIFA e neste momento estamos a aguardar por novidades", assegurou.

O órgão em causa tem de reunir para analisar o caso e a definição final vai ser tomada de acordo o Regulamento sobre o Estatuto e Transferências de Jogadores, da entidade máxima do futebol mundial. "Eles podem tomar uma posição oficial, mas este órgão, não reúne com muita frequência. É possível que com o começo dos campeonatos na Europa, programem algum encontro para os próximos dias", argumentou. O JD apurou que o "Caso Keita" talvez se arraste por tempo indeterminado, porque a Comissão do Estatuto do Jogador tem de programar um dia para reunir e tratar os assuntos em curso e os pendentes.

"Esta é uma situação que ocorre também na CAF. Há mais reuniões quando há competições e na FIFA é a mesma coisa. Pode ser que a qualquer momento agendem alguma coisa, até lá nada pode ser feito", salientou.A nossa fonte lamentou o rumo que a também chamada "Novela Keita" tomou, a FAF pretendia resolver o litígio entre o atleta e o clube, mas o advogado do jogador preferiu tomar uma decisão que veio complicar ainda mais as coisas.

"Ele despoletou o caso a partir de Portugal, agora temos de aguardar, pois, nada mais pode ser feito. Se o advogado não recorresse a FIFA a coisa seria diferente", referiu.A federação angolana tentou ser imparcial no processo, mas a sua posição acabou por criar suspeitas no atleta e no seu advogado. "Eles pensaram de forma errada que não queríamos resolver o diferendo. Estávamos a dar os passos certos, no entanto, eles não acreditaram e acabaram por piorar as coisas", deplorou.

O diferendo entre Keita e o Petro de Luanda vai completar um ano no próximo mês, e o nosso interlocutor concluiu, com base nos dados que disponíveis sobre o dossier, que o jogador está a ser mal aconselhado. "Se nos deixassem trabalhar, seguramente teríamos um veredicto sobre o caso. Infelizmente, o atleta não nos quis ouvir, tanto é assim que saiu do país sem dizer nada. A atitude dele era de quem não quis falar com ninguém", comentou.

FALTA DE CONSENSO
Atacante pode terminar época sem jogar


O ano civil pode terminar sem que Ladji Keita consiga jogar por um clube angolano ou estrangeiro. O nosso interlocutor assegurou que mesmo que a FIFA dê razão ao Keita, o Petro de Luanda tem direito de apelar. "Se isto acontecer, a Comissão do Estatuto do Jogador vai ter de programar uma nova reunião e geralmente eles dão um prazo para quem se sente lesado reagir. Só quando as partes chegarem a consenso sobre o veredicto é que ele passa a vigorar", argumentou.

A posição irredutível do clube tricolor quando a FAF tentou realizar uma reconciliação entre as partes, levou a nossa fonte a concluir que a formação do Catetão mostra-se disposta a lutar pelos seus direitos. "Nós tentamos internamente reunir em separado as duas partes, infelizmente não fomos bem-sucedidos porque ninguém quer ceder. A atitude do clube é de quem não quer abdicar de nada", completou.

A nossa fonte assegurou que o Petro aguarda pela decisão da FIFA, que  esperam ser notificados de imediato pela federação angolana, quando esta receber qualquer novidade a entidade que superintende o futebol mundial."O clube teve de recuar um pouco naquilo que pretendia fazer, porque já há uma instância que tomou conta do caso e como eles também não se opõem, decidimos respeitar este princípio", afirmou.

O diferendo entre o atleta senegalês e o clube angolano é sem precedente no futebol nacional, a FAF tentou evitar que se prolongasse, mas sem sucesso devido a "intransigência" das partes envolvidas. "O problema é que existem pontos de vista diferentes entre as partes e nenhum deles quer ceder, e apresenta os seus argumentos para se defender. Não os condenamos, porque este é um caso muito específico, mas de difícil resolução", sublinhou.

A FAF aguarda com expectativa que a Comissão do Estatuto do Jogador tome uma decisão capaz de satisfazer as duas partes. A fonte que vimos citando garantiu que a demora não beneficia a nenhuma das partes."Infelizmente as coisas chegaram a uma fase complicada. Queríamos fazer a nossa parte, pois, era nossa intenção criar uma plataforma para comunicarmos a FIFA, contudo, não nos deram esta oportunidade", rematou.

O famoso "Caso Keita" começou em Outubro do ano passado, quando o avançado senegalês deixou de comparecer aos treinos do Petro de Luanda por supostos atrasos salariais. Dias depois, o clube acusou o atleta de abandonar o clube sem justa causa e este ano o jogador esteve a trabalhar no 1º de Agosto, clube em que fez a pré-época, mas há uns 3 meses que se ausentou de novo de Angola.