Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Kurikutelas volta a acolher jogos

22 de Janeiro, 2017

A capital do Planalto Central que volta a ter jogos da primeira divisão terá o campo dos Kurikutelas com uma nova imagem após a reabilitação

Fotografia: Jose Soares

Quatro anos depois o estádio do Kurikutelas, localizado a quase três quilómetros do centro da cidade do Huambo, volta a acolher jogos do campeonato nacional de futebol da I divisão (Girabola), apurou à Angop.

Inaugurado a 23 de Agosto de 1947, com a designação oficial de estádio do Ferroviário de Nova Lisboa (como era conhecida a cidade do Huambo na era colonial), o recinto será utilizado pelo JGM Académica Sport Clube do Huambo, que este ano estreia-se na competição.

A última vez que acolheu um jogo da I divisão foi a 22 de Setembro de 2013, na altura casa emprestada do Clube Recreativo da Caála, que perdeu para o Clube Desportivo da Huíla, por 1-2, em partida da 24ª jornada.

Antes de ser usado pelos “caalenses”, de Fevereiro de 2009 a Setembro de 2013, o Kurikutelas foi sempre reduto oficial do Petro do Huambo, entre 1980 a 2008, incluindo os anos em que esta formação esteve na II divisão (1982, 2006 e 2009) 

Porém, o estádio também já acolheu jogos internacionais. No dia da sua inauguração defrontaram-se as selecções de Lourenço Marques (actual Maputo) e Nova Lisboa (Huambo), ao passo que dois anos depois (1949) a selecção anfitriã (Nova Lisboa) recebeu o FC do Porto.

Em 1950 foi a vez do Sport Lisboa e Benfica, após a conquista de mais um título nacional e a taça latina, ter vindo a esta região jogar diante da selecção local, no estádio do Ferroviário.

Quanto a jogos da Confederação Africana de Futebol, o estádio foi palco de quatro partidas, das quais a mais recente disputou-se a 21 de Abril de 2013, entre o Recreativo da Caála e o Étoile do Sahel da Tunísia, para a primeira-mão da penúltima eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação Africana.

Antes, a 3 de Março de 2013, o Caála defrontou, no Kurikutelas, o Power Dynamos da Zâmbia, na primeira eliminatória de acesso aos grupos da Taça da Confederação. Ainda neste mesmo estádio, a 30 de Janeiro de 2011 o Caála mediu forças com o Saint George da Etiopia, nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da liga africana dos clubes campeões.

Porém, o primeiro jogo sob a égide da Confederação Africana de Futebol disputado no Kurikutelas foi a 11 de Abril de 2004, entre o Petro do Huambo e o Liberty Professional Club do Ghana, para a primeira- mão dos dezasseis avos da extinta Taça da Confederação.


HISTÓRIA
Carlos Pereira baptiza estádio


O nome de Kurikutelas surgiu em meados da década 1970, por iniciativa do jornalista Carlos Pereira, na época director da emissora local da Rádio Nacional de Angola.

O facto de o recinto ter sido edificado numa zona adjacente às oficinas do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) figura entre as várias hipóteses apresentadas pelo radialista para justificar o nome que optou atribuir ao estádio.

Segundo Carlos Pereira, na época considerado um dos maiores narradores de partidas de futebol, o som produzido pelo movimento dos comboios, cuja linha férrea passa há pouco menos de 10 metros do estádio, assim como a actividade dos operários nas oficinas do CFB, ecoava um som parecido a Kurikutela.

"Okutela" na língua nacional umbundo significa martelar e, segundo fontes orais, o nome do estádio também pode ter derivado desta palavra que servia não apenas para caracterizar a actividade dos operários nas oficinas, mas também a passagem do comboio nas proximidades do estádio, cuja capacidade é de oito mil espectadores.

Depois de alguns anos sem albergar nenhum jogo oficial, o estádio volta a servir o futebol nacional com a formação do JGM Académica Sport Clube do Huambo a dar a devida serventia que lhe é devida.


AMIGÁVEIS
Sagrada Esperança agenda mais dois jogos


A equipa do Sagrada Esperança da Lunda Norte ampliou o leque de jogos amistosos que realiza na cidade de Benguela, onde atingiu a segunda e última semana de preparação, com vista o Girabola de 2017.Francisco Moniz Hungo “Franck”, adjunto de Ekrem Asma, disse ao Jornal dos Desportos, que além dos adversários de que tem conhecimento, a equipa técnica do Sagrada Esperança da Lunda Norte conseguiu mais dois oponentes para os testes a serem disputados ao longo da semana que hoje tem início.Assim, caso não haja contrariedade no que está projectado, a formação da Lunda Norte vai defrontar a Académica do Lobito na terça-feira, dia 24 do corrente, em horário e campo a estabelecer entre os dois conjuntos.

Na lista de testes entra, igualmente, o confronto com a equipa do Jackson Garcia FC, de Benguela, qu, tal como no primeiro, ainda não se sabe ao certo o local onde vai decorrer, mas com a data provável o 27 de Janeiro corrente.

Segundo o programa traçado pela equipa técnica orientada pelo turco -alemão Ekrem Asma, o último adversário a testar com o conjunto diamantífero pode ser o Progresso do Sambizanga. O jogo vai  ser disputado no domingo, dia 29 deste mês, porque na segunda-feira seguinte o conjunto regressa ao Dundo.  No primeiro dos ensaios que disputou, o Sagrada Esperança da Lunda Norte defrontou e perdeu com o FC Bravos do Maquis, por 2-1, enquanto que no segundo, teve como adversário o Atlético Sport Aviação (ASA) e perdeu, por  3-0.

Além do Sagrada Esperança da Lunda Norte, Benguela acolhe mais nove equipas da Primeira Divisão, que escolheram a região para realizar os respectivos estágios pré-competitivos para o Girabola de 2017.São concretamente, as formações do FC Bravos do Maquis, Recreativo da Caála, Atlético Sport Aviação (ASA), 1º de Agosto, Interclube, Petro de Luanda, JGM do Huambo, Progresso do Sambizanga, Kabuscorp do Palanca, que como é óbvio, se juntaram à Académica do Lobito. 
AUGUSTO PANZO - Benguela