Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Líder dá gosto

Paulo Caculo - 24 de Outubro, 2016

Foi com grande facilidade e os militares derrotaram ontem os polícias no estádio 22 de Junho

Fotografia: Kindal Manuel

Quando a falta de concentração atinge uma equipa, os resultados só podem ser devastadores. Ontem, o Interclube foi impotente para repetir a brilhante exibição protagonizada diante do 1º de Agosto, na primeira volta do campeonato, ao consentir uma pesada e expressiva goleada por 6-1, em jogo disputado no estádio 22 de Junho, no Rocha Pinto.

Olhando para a "gordura" dos números da vitória dos militares, chega-se à fácil conclusão de que apenas uma equipa esteve em campo...a jogar! Isso mesmo. Diante de um adversário a atravessar excelentes níveis de motivação, a equipa do Interclube acabou cometendo um erro grosseiro, ao permitir que o 1º de Agosto tomasse às rédeas do jogo, assumisse o domínio territorial da partida e jogasse a seu bel-prazer. Os polícias pagaram, por isso, demasiado caro, o preço da displicência.

A verdade é que a história do jogo remete-nos a um duelo em que os polícias entraram a dormir, ou seja, em sono profundo e quando despertaram, já os militares mexiam no marcador, aos 17 minutos, na sequência do golo de Jumisse, após trabalho individual de Gelson. A jogada parte de um desarme de bola a Chris na zona nevrálgica do meio-campo defensivo dos donos da casa.

Incapaz de suster a enorme dinâmica imprimida às jogadas do 1º de Agosto, mas também impotente para suster o grande caudal ofensivo produzido pela equipa de Dragan Jovic em sectores adiantados do relvado, o Interclube ficava apenas a ver a "banda passar". Ou seja, as jogadas de transição do ataque dos militares eram de tal forma rápidas, sempre apoiadas pelo futebol criativo e atractivo de Gelson, Ari Papel e Bua, que a defensiva dos polícias era quase sempre apanhada em contra-pé.

Furto deste estado de coisas, acabou sendo com a maior das naturalidades que, aos 20 minutos, o 1º de Agosto voltaria a fazer mexer as redes da formação caseira. A assistência de Gelson a Ary Papel não tinha como não encerrar com golo. A perder por 2-0, esperava-se melhor reacção do Interclube, mas debalde! O facto é que o conjunto da casa continuou em tarde de sonolência, pois tal era a inoperância ofensiva e displicência defensiva com quem brindava o 1º de Agosto.

Dir-se-ia mesmo que no 3-0, aos 24', a equipa da Polícia acabaria por entregar os pontos de bandeja! Jumisse não teve dificuldades em bisar no jogo...perante a passividade da defesa do Interclube, onde nem Fabrício, nem Valdez revelavam-se capazes de descobrir o antídoto para anular o ataque do 1º de Agosto. Os polícias estavam completamente expostos e dispostos a sofrer muito mais golos, facto que veio mesmo a acontecer nos minutos seguintes. Antes do intervalo, ainda houve tempo para Ary Papel escrever o seu nome na lista de goleadores do jogo.

A vencer por 4-0, o 1º de Agosto deu-se ao luxo de jogar a brincar, como se um autentico treino se tratasse. Em face disso, a segunda parte foi menos intensa, com os militares a reduzirem a passada e a  trocarem mais vezes a bola no seu meio-campo. Nem por isso tal postura ajudou o Interclube a dar a volta ao texto.

Muito pelo contrário. Coube a Gogoró fazer o quinto golo, aos 60', na sequência de uma jogada com participação especial de Bua. No 6-0, já não se pode falar de sorte, pois o golo magistral de Gelson parte de um execução genial. Antes do fim, os polícias conseguiram chegar ao golo de honra, por intermédio de Mabululu, mas incapaz de salvar a equipa da gigante humilhação em casa.

A FIGURA
Gelson torna tudo fácil


Olhando para a qualidade e o rendimento espelhado ontem pela equipa do 1º de Agosto no embate frente ao Interclube muitas são as unidades que podiam ser eleitas como figuras do jogo, mas destacamos aqui como referencia o médio ofensivo Gelson, pela capacidade que teve em criar várias jogadas de golo e, também, por ter assinado, por duas vezes o seu nome na goleada. Mais uma vez, o camisola 27 do 1º de Agosto consegue destacar-se entre os demais pela naturalidade do seu futebol. Mais do que isso, Gelson acaba por fazer história ao igualar a marca de golos de Amaral Aleixo e Flávio Amado no Girabola e ultrapassar Osvaldo Saturnino Jesus, o mediático avançado do Petro. Grande exibição!

ARBITRAGEM
Trabalho regular


A regularidade do trabalho de arbitragem protagonizada pelo trio encabeçado por Conceição Matias esteve muito bem patente nas incidências do jogo. Não houve qualquer motivo de alaridos ao labor exercido pelo árbitro na partida, nem tão pouco a actuação dos seus auxiliares. Em suma, quer técnica como disciplinarmente, o juiz esteve a altura do espectáculo.

OPINIÃO DOS TÉCNICOS

Abílio Amaral (Interclube)
“Equipa  apática

 "Penso que o 1º de Agosto veio para aqui muito motivada. Não conseguimos contrariar o favoritismo do 1º de Agosto. O adversário correu mais do que nós, e vimos que a nossa equipa esteve muito apática. Quando assim acontece só temos de dar os parabéns ao 1º de Agosto, porque venceu com todo mérito".

Filipe Nzanza  (1º de Agosto)
“Importante foi ganhar"

"Acho que o mais importante era ganhar o jogo. Ninguém contava com este resultado, porque esperávamos um jogo difícil, mas criámos muitas oportunidades de golo na primeira parte e conseguimos concretizar e acho que a partir daí tornou-se tudo muito mais fácil na segunda parte".