Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lder defronta adversrio intermitente

Betumeleano Ferro - 17 de Março, 2018

Interclube agora nem precisa mais repetir que candidato

Fotografia: Vigas da Purificao | Edies Novembro

O Interclube agora nem precisa mais repetir que é candidato, de jornada a jornada mostra competência e assusta a concorrência com o grande começo que está a protagonizar.
O adversário de amanhã, às 15h00, no 22 de Junho, é o FC Bravos do Maquis, uma das desilusões do Girabola Zap 2018, por causa da intermitência de resultados, ou seja, os maquisardes estão muito aquém das expectativas, o desperdício já começa a ser preocupante.
A tarde de domingo também tem na agenda o Desportivo da Huíla - Académica do Lobito, no Ferroviário, e Clube Recreativo da Caála (CRC) - Clube Recreativo do Libolo, no Mártires da Kanhala, ambos têm início às 15h30, para não atrapalhar o foco no 22 de Junho.
A tranquilidade policial no campeonato está a reunir consenso, é verdade que o líder ainda não cruzou com nenhum dinossauro, mas o que conta é o que de bom fez em jornadas anteriores contra adversários do estilo do FC Bravos do Maquis. O aprendizado das vezes anteriores vai ser determinante para que o Interclube volte a provar que agora não é só candidato da boca para fora.
Os maquisardes têm qualidade suficiente para causar grandes embaraços aos polícias, na teoria o jogo com a equipa mais regular do campeonato é o ideal para quem está sob obrigação de dar um pontapé na crise de resultados. O FC Bravos do Maquis tem de reagir com urgência e pode aproveitar a deslocação a Luanda para lavar a cara, um triunfo sobre o líder não acaba em definitivo com os problemas maquisardes mas pode dar a confiança para melhorar a prestação no Girabola Zap.
O jogo entre os recreativos também tem os seus motivos de interesse, o desempenho irregular do Caála e do Libolo diminuí a margem de erro dos contendores, mas os irmãos sabem melhor do que ninguém que não podem ambos sorrir com a vitória, pelo que só lhes resta fazer pela vida para sair a sorrir com o sentimento do dever cumprido.
A má prestação do Caála e do Libolo torna complicado apontar qual deles está pior, mas fica claro que o resultado final pode ser o melhor juiz para os contendores. Ambos estão muito pressionados, estão muito atrasados e têm de reagir quanto antes para que mais tarde não sejam forçados a correr atrás dos muitos pontos perdidos, até agora.
 O Desportivo da Huíla ganhou muito ânimo com o triunfo extramuros na jornada passada, os 3 amealhados contra o Maquis pode ser tudo o que os militares necessitavam para começar a fazer um novo começo. O Desportivo está melhor do que a Académica do Lobito, adversário de amanhã, agora que chegue a hora do jogo para provar no terreno que só depende de si para sorrir de maneira consecutiva, com a grande diferença de que vai ser perante os seus adeptos.
Os estudantes estão no nível dos anos anteriores, as notas continuam muito baixas, a reacção demora a surgir, o que é muito mau para quem nos últimos anos tem se acostumado a esperar pelas últimas jornadas para confirmar a manutenção. Se é verdade que não existem dois jogos iguais, também é consensual que há coisas que não acontecem todos os anos, pelo que a Académica tem de acordar para não chorar pelo que se esqueceu de fazer quando teve tempo.
A jornada tem dois jogos adiados, trata-se do 1º de Agosto - JGM e Petro de Luanda - Sporting de Cabinda. Os rivais têm compromissos africanos motivo por que só em data a anunciar vão entrar em cena no campeonato angolano.