Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lder sob presso

Betumeleano Ferro - 18 de Setembro, 2016

Plantel do 1 de Agosto est confiante e quer confirmar em campo o favoritismo na visita ao Porcelana FC e conquistar os trs pontos

Fotografia: Jornal dos Desportos

O 1º de Agosto tem de vencer esta tarde, a partir das 15h00, no Estádio dos Dinizes, o Porcelana FC para consolidar a liderança do campeonato nacional e ganhar novo alento na corrida pelo título.

O Petro de Luanda desde sexta-feira "instalou-se" no topo da classificação com o mesmo número de pontos que o líder, torce neste momento por um deslize do comandante e deseja a mesma sorte ao Libolo, no jogo de amanhã em Calulo.

O sorteio saiu em auxílio dos militares e dos libolenses que defrontam adversários acessíveis, o Porcelana, lanterna vermelha do campeonato e Académica do Lobito, antepenúltimo da tabela classificativa.

A deslocação do 1º de Agosto aos Dinizes é boa oportunidade para somar 3 pontos e manter a liderança pontual em relação aos perseguidores. Os rubro - negros entram em campo pressionados a vencer, para aproveitar o brinde do sorteio, uma oportunidade de ouro que devem aproveitar agora, que é superior em tudo.

A formação do Cuanza Norte tem a corda ao pescoço e a cada jornada demonstra um grau elevado de (in)conformismo com a sorte final. Os visitantes não são bons mensageiros para um 'condenado', ainda assim, há motivos para acreditar na força competitiva para tentar impor respeito em sua casa.

O 1º de Agosto tem tudo para inclinar o relvado a seu favor. Todas as análises possíveis favorecem  o líder do campeonato, que entra em campo, com  as fichas na mão. Entretanto, não é líquido, elas podem cair por terra se a intermitência que costuma aparecer de maneira inesperada assombrar os pupilos de Dragan Jovic.

A tremura que os militares evidenciam na segunda volta do campeonato deixa os adeptos com o credo na boca. O embalo para o título era feito de maneira veloz,  nas últimas rondas a equipa aparenta estar com dificuldades de intimidar até adversários como o Porcelana.

O nível do adversário dos rubro - negros não deixa margens para dúvida de quem seja o favorito. O comandante do campeonato ou vence e reajusta o passo, ou torna a tropeçar  e põe em cheque a ambição pelo título.

Ao 1º de Agosto pesa sobre a si, a responsabilidade de tomar as rédeas do jogo, não deve embalar-se tanto e pensar que são favas contadas, porque os anfitriões arrancaram um empate motivador no jogo com o Benfica, fora de casa, podem repetir a proeza.


FILIPE NZANZA
“Encaramos o jogo como uma final”


O técnico - adjunto do 1º de Agosto, Filipe Nzanza, defendeu que o jogo desta tarde às 15h00, no Estádio dos Dinizes, com o Porcelana FC, é mais uma final para enfrentar na trajectória para a conquista do título.

"A semana de preparação correu bem, a equipa treinou sem qualquer constrangimento e neste momento, estamos apenas à espera da hora do jogo. A partir de agora, todas as partidas são autênticas finais, vamos fazer tudo para ganhar. A semana passada tivemos um empate inesperado diante do Sagrada Esperança, mas está ultrapassado e estamos concentrados em somar os três pontos", declarou.

O auxiliar de Dragan Jovic minimizou o empate do campeão nacional, na jornada passada, referiu que estão mais preocupados com a prestação na competição e não na do adversário, porque cada um faz a sua parte.

"O empate do Libolo não vale nada para nós. Não estamos preocupados com os resultados dos nossos adversários directos, temos de fazer o nosso trabalho, para em Novembro sermos campeões nacionais", afirmou e de seguida fez uma breve comparação da disputa pela conquista do título, no tempo em que estava dentro do campo.

"Quando eu jogava, ganhávamos o campeonato com dois ou três jogos de antecedência, mas quando perdemos em 2007 para o Interclube, foi também nas últimas jornadas, à semelhança da época passada em que o título foi decidido na última ronda, a favor do Libolo", destacou.

Entretanto, disse que esta época as coisas estão mais complicadas. "Este ano está a ser mais competitivo e é bom porque todos estão empenhados, e é bom para os dirigentes e os adeptos verem que não é fácil ganhar o título", comparou.

De acordo com Filipe Nzanza, o Girabola Zap vai ser ganho nos detalhes e os agostinos estão a acautelar todos os aspectos para a consagração. "Estamos a trabalhar em todos os aspectos do jogo para triunfar", sublinhou.

"Há pressão, que ajuda também na concentração dos jogadores. A equipa que cometer menos erros ganha o campeonato. Até agora ,estamos a gerir a pressão e focados no nosso trabalho. Não estamos preocupados com os nossos adversários", esclareceu.

A ausência de público nas bancadas do Estádio dos Dinizes, em função do castigo imposto pela FAF, deixa o técnico triste por privar os adeptos das duas equipas de assistir a este desafio.

"Isso, não prejudica só o 1º de Agosto, também o povo de Ndalatando que queria ver o 1º de Agosto. É lamentável, vamos fazer tudo para dar alegria aos nossos adeptos daquela cidade", disse o auxiliar de Dragan Jovic.

"Penso, que os adeptos estão com medo, mas eu estou tranquilo e acredito na nossa equipa. Temos um bom plantel e tenho fé que este é o nosso ano. Tenho transmitido  a equipa técnica e aos jogadores para termos paciência e nada de pressa para chegar lá", finalizou.      
Jorge Neto 


PORCELANA
Plantel pretende contrariar favoritismo


O Porcelana FC regressa a casa para a recepção ao 1º de Agosto, com duas contrariedades de vulto que podem influenciar no resultado da partida, e quiçá, na caminhada para a fuga à despromoção.

A ausência do médio Armando, suspenso pela Federação Angolana de Futebol por dois anos devido a agressão ao árbitro no jogo com o Porcelana, o facto de jogar à porta fechada deixa o representante do Cuanza Norte com a situação ainda mais complicada quanto aos objectivos traçados.

“É uma grande baixa para a equipa”, lamentou Sarmento Seke. Para o seu lugar no meio campo está a ser utilizado Djamy, atleta que denota ainda certa lentidão, deficiente visão de jogo, débil fisicamente, técnica razoável, com bom remate ainda pouco explorado.

O técnico reconhece o grau de dificuldade que a sua equipa deve enfrentar esta tarde, não só pelas adversidades apresentadas, acima de tudo vai defrontar o líder da prova e sério candidato ao título, que entretanto espera contrariar o favoritismo.

“Os jogadores ao longo da semana de preparação têm acatado aquilo que a equipa técnica transmitiu, acredito que se levarem para dentro do campo o que estamos a transmitir, conseguimos os três pontos”, perspectivou.

O treinador assumiu que continuam com os mesmos erros, nomeadamente, fraca intensidade, falhas de marcação nos cruzamentos, ausência de remates, desmarcações, sobretudo, no meio campo e lentidão nas transições ofensivas.

Sublinhou que estas e outras falhas contribuem para a fraca eficácia ofensiva. Recordou que em 23 jogos a equipa  marcou 26 golos, média de menos um golo por partida, e por incrível que pareça, os defesas aparecem na liderança. E, como na lógica do futebol “quem não marca, sofre”, a equipa consentiu 38 violações à baliza.Ainda assim, Sarmento Seke realçou que nas últimas jornadas o grupo  reagiu bem e lamenta ter uma equipa limitada.
O empate com o Benfica, em Luanda, foi a demonstração de que “estamos a melhorar em alguns aspectos”, realçou.
 Isidoro Natalício - N’Dalatando