Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lees aguardam pelos Polcias

Joaquim Suami |Cabinda - 12 de Janeiro, 2019

Formao de Cabinda quer regressar as vitrias nas prximas jornadas

Fotografia: Santos Pedro |Edies Novembro

Depois do empate a zero bolas verificado, na última quarta-feira, em Cabinda, no desafio da 11ª jornada, disputado no estádio municipal de Tafe, o Sporting de Cabinda regressou ontem aos treinos, visando a sua deslocação a Luanda, para defrontar o Interclube, no jogo a contar para a 12ª jornada do Girabola/Zap.
Apesar do poderio da agremiação afecta ao Ministério do Interior, os leões do norte ambicionam travar o seu adversário e vencerem o desafio, para ampliarem a sua pontuação na tabela geral de classificação da prova. O Sporting de Cabinda possui 11 pontos e ocupa o 12º lugar.
O Interclube com 11 pontos, ocupa o 11º lugar. Em caso de vitória dos leões do norte  e do Recreativo do Libobo, que também possui 11 pontos e defronta o Santa Rita do Uíge, o Interclube cai para 13ª posição.
O técnico do Sporting de Cabinda, Emena Kwazambi, deixou bem claro no final do desafio diante do Kabuscorp do Palanca, que vai a Luanda com o objectivo de travar o poderio do Interclube e somar os três pontos.
\"O Interclube é uma equipa que está a lutar pelo titulo mas vamos a Luanda com o objectivo de ganharmos o jogo. Reconhecemos a experiência e a maturidade dos jogadores do Interclube, mas a nossa ambição é de regressarmos à Cabinda com os três pontos na bagagem”, disse, referindo que o seu conjunto está a evoluir em cada jogo, o que demonstra que algo está a ser feito no seio dos jogadores.
No desafio diante do Kabuscorp do Palanca, o técnico do Sporting de Cabinda lamentou as falhas constantes dos seus avançados, que desperdiçaram varias oportunidades de golo, em caso de concretização, levariam os leões do norte a vitória.
“Foi um jogo bem disputado, mas fico um pouco triste porque aquilo que trabalhamos os jogadores não conseguiram cumprir. A equipa criou imensas oportunidades, mas não concretizamos e até poderíamos estar a ganhar o jogo no primeiro tempo. Temos que aceitar o resultado, porque viemos de um jogo bastante disputado com o 1º de Agosto. Neste desafio mostramos que a equipa está a evoluir a cada jogo que disputa e penso que, nas próximas partidas, a equipa vai dar muitas alegrias aos adeptos\", referiu. 
O técnico do Kabuscorp do Palanca, Paulo Torres, reconheceu as qualidades dos jogadores do Sporting de Cabinda, que durante os 90 minutos foram verdadeiros imbatíveis. Segundo Paulo Torres, o público que esteve no estádio de Tafe saiu satisfeito.
 \"Foram 90 minutos de jogo de grande nível, por pouco teríamos problemas no jogo, porque o Sporting de Cabinda é uma equipa rotativa e mata muitos jogadores no sector de ataque. Conseguimos aguentar a pressão dos primeiros 20 minutos e adaptamos bem ao terreno do estádio de Tafe\" disse.
Referiu que, apesar do Sporting de Cabinda ter jogado em alguns momentos melhor que o Kabuscorp do Palanca, os  jogadores da sua formação estiveram bem em campo.
\"Estou satisfeito por não ter pedido, mas também, poderíamos ter ganho o jogo, mas aqui dificilmente uma equipa de fora ganha. Parabéns o Sporting de Cabinda, que é uma equipa que possui qualidade e joga bem, por isso temos que valorizar os jogadores que se formam dentro do país\", concluiu.