Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Lees temeram brilho dos lundas

05 de Outubro, 2015

O juiz no prejudicou nenhum dos lados, alis, admoestou os jogadores faltosos

Fotografia: Antnio Soares

A manutenção do Sporting de Cabinda no Girabola ainda não é uma certeza. Tudo porque ontem, no Tafe, os leões não foram suficientemente audazes para levar da melhor sobre o Sagrada Esperança. Ou seja, o empate sem golos, acabou por complicar a situação da equipa no campeonato.
Os leões do Norte dependem agora de terceiros, ou seja, do deslize na última jornada da formação da Académica do Lobito que recebe em casa o Recreativo do Libolo.

A jogar em casa e sob pressão dos adeptos, o Sporting entrou em campo, disposto a somar os pontos da tranquilidade, mas o Sagrada Esperança esteve em Cabinda com a missão de complicar os leões do Norte. Na primeira parte, os donos da casa estiveram  melhor e aos sete minutos, o avançado Zeca falhou a oportunidade de inaugurar o marcador. O Sagrada Esperança, a jogar fora do seu habitat, não se intimidou e tentou procurar igualmente o golo, mas o Sporting de Cabinda esteve atento as acções da formação da Lunda Norte.

Na etapa complementar, o Sagrada Esperança entrou com outra postura em campo, a turma do técnico Zoran Maki subiu no terreno do Sporting de Cabinda, em que Depaizo, dos lundas, foi o "homem do jogo". O atleta ajudou os diamantíferos a afastar a pressão do adversário. Depois de um descontrolo do Sporting de Cabinda, em que o Sagrada Esperança jogava à vontade, os leões do Norte "acordaram" e pressionaram o último reduto da formação diamantífera.

Mas mesmo a jogar em casa, a equipa às ordens de Lusaduso Medart não soube aproveitar as oportunidades que teve para marcar golos. O árbitro Conceição Matias realizou um bom trabalho. Mostrou que pode continuar a apitar jogos da Primeira Divisão. O juiz não prejudicou nenhum dos lados, aliás, admoestou os jogadores faltosos no momento certo, assim como apitou as faltas no minuto certo. 
JOAQUIM SUAMI, EM CABINDA