Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo adia ttulo

01 de Outubro, 2015

A entrada de Chico acabou por ser um grande ganho, pois com o golo marcado, reacendeu as esperanas

Fotografia: M. Machangongo

A capacidade de sofrimento demonstrada ontem pelo Recreativo da Caála, no desafio diante do confrade do Libolo, disputado no estádio de Calulo, adiou a consagração dos libolenses, que esperavam em casa, fazer a festa do tetracampeonato. O Libolo, que desde os cinco minutos perdia, em face ao golo marcado pelo caalaense Landry, no aproveitamento de uma falha dos centrais do campeão, apenas chegou ao empate por Chico, no segundo do seis minutos do tempo de compensação (6) dado pelo árbitro Mauro de Carvalho.

Ainda assim, o tento apontado pelo jogador que substituiu Mingo Sanda, serviu somente para os donos da casa não saírem em branco do desafio.
O tricampeão Libolo, que antecipadamente pretendia conquistar o tetra, teve um grande volume de jogo, principalmente na segunda etapa do marcador, porém, teve pela frente uma equipa destemida. Aliás, o Recreativo da Caála em momento algum "abanou". Pelo contrário. Demonstrou capacidade para contrariar a tendência "demolidora" da formação de Calulo.

Contudo, a vontade e querer demonstrado pela equipa do Huambo teve um revés: a expulsão de Kapita, por acumulação de amarelos. A partir daí, o técnico Hélder Teixeira recuou algumas das suas peças em campo, o que facilitou a vida à formação do Libolo. Ou seja, o treinador João Paulo Costa colocou toda carne no grelhador, com as saídas de Brito (avançado) e Mingo Sanda (central) e entradas de Rudy (médio) e Chico (avançado).
 
A entrada de Chico acabou por ser um grande ganho, pois com o golo marcado, reacendeu as esperanças em a equipa do Libolo chegar à vitória, uma vez que o árbitro, para além dos 6 minutos de compensação, acabou por dar mais 3 de bónus, que poderiam ser fatal para os caalaenses.