Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo alarga passada

13 de Agosto, 2015

Sagrada trava a onda vitoriosa do Libolo e continua numa posio comprometedora

Fotografia: Benjamim Cndido

O desafio entre o Sagrada Esperança e Recreativo do Libolo, referente à 21ª jornada do Girabola  prometeu muito, na segunda parte, uma vez que os diamantíferos entraram em velocidade e com o ímpeto ofensivo, mas a falta de pontaria dos seus avançados , levou o conjunto da  Lunda Norte a consentir um empate comprometedor  a zero bolas diante do líder do campeonato. O empate serviu apenas para travar a boa campanha do líder do Girabola, pois a equipa diamantífera continua numa posição aflitiva e que inspira muitos cuidados. A contenda entre o Libolo e o Sagrada Esperança foi, negativamente, marcada pela má prestação da equipa de arbitragem da província de Luanda, que teve uma actuação tendenciosa e claramente a favor da turma forasteira.

As duas formações procuraram praticar bom futebol, mas foi o Recreativo do Libolo a começar com o jogo ofensivo, mas sem criar grandes situações de golo para a baliza do jovem guarda-redes Yuri.  O avançado Diawara aos 15 e o médio criativo Freddy, tiveram oportunidades de violar as redes contrárias, mas sem pontaria necessária. A primeira reacção dos pupilos Zoran Maki aconteceu aos 24 minutos, após uma portentoso remate de longa distância o atacante Guedes. A "bomba" do dianteiro Lunda obrigou o guardião do Recreativo do Libolo a uma defesa de recurso que lhe valeu o desvio da trajectória da bola que partia directo para as redes.

Inconformados com o resultado e, sobretudo, com a situação aflitiva em que se encontram na tabela classificativa, os lundas entraram melhor na segunda parte do jogo e em diversas ocasiões atingiram com facilidade a grande área dos opositores. Aos 54 minutos Guedes, num remate acrobático, tentou novamente visar a baliza, mas o defensor do Libolo Mingo Sanda, antecipou-se à jogada. O Sagrada reentrou fulgurante e com um futebol vistoso, tendo apenas faltado a “ estrelinha da sorte “ .

 Capuco, aos 56’   numa arrancada genial de Fatite , isento de marcação ,  fez o mais difícil atirando a bola para fora, quando tudo apontava para golo.Devido a falta de inspiração dos avançados, adeptos afectos ao Sagrada gritavam pela entrada de Love Cambungula em campo. O técnico respondeu ao pedido da “ensurdecedora” claque diamantífera e lançou o veterano Love ao jogo que, por sua vez, imprimir outra dinâmica e qualidade ao caudal ofensivo da equipa.  Aos 82 minutos aconteceu a situação mais caricata e triste para o Sagrada Esperança. Numa jogada de laboratório devidamente ensaiada, o médio Ary, na cara do guarda-redes do Recreativo do Libolo, atirou para fora, após excelente jogada entre Hernâni e Love.

ARBITRAGEM
Trabalho isento


O trio de arbitragem chefiado por Mauro de Oliveira, apesar de contestado no fim da partida não teve influência no marcador. Com bastante profissionalismo e rigor conseguiu controlar a partida e não permitiu que os dois conjuntos exercessem sobre si qualquer tipo de pressão. De resto, fez aquilo que lhe competia, embora algumas pessoas ainda tentaram inclinar o campo para um único sentido, mas não se deixou influenciar e muito menos permitiu qualquer tipo de ingerência no seu trabalho, que acabou por dignificar a arbitragem nacional que temsido alvo de muitas criticas.

DECLARAÇÕES
Zoran Maki    (Sagrada Esperança)=“Falta-nos a estrelinha
da sorte”
“Fomos a melhor equipa em jogo  porque criamos várias oportunidades de golo mas, sinceramente,  esta estrelinha da sorte continua a fazer falta nesta equipa. Mas com trabalho e dedicação vamos continuar a acreditar e felicito os meus jogadores pelo grande jogo e postura que tiveram durante o desafio.”

 

“Falhámos o objectivo”
João Paulo Costa   (Recreativo do Libolo)=
O nosso objectivo era vencer o jogo, mas do outro lado estava uma equipa muito forte também que fez tudo para nos contrariar. Criámos algumas oportunidades que não conseguimos concretizar , mas ainda somos lideres e vamos continuar a trabalhar para alcançarmos os nossos objectivos.