Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo e Petro precisam acertar

04 de Março, 2017

O Libolo está em fase de renovação, a entrada do técnico Vaz Pinto está a provar que o crescimento da equipa está ser lento e progressivo.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O Recreativo do Libolo e o Petro de Luanda estão intermitentes no Girabola ZAP, alternam o bom com o mau. As duas equipas vão tentar  diante dos imprevisíveis 1º de Maio de Benguela e Progresso da Lunda Sul, alterar esta sina.A jogar em casa, às 15h00, a equipa de Calulo  vai reajustar o passo diante dos proletários, e têm meio caminho para a vitória, mas só no final dos 90 minutos pode saber-se, se os grandes trunfos dos anfitriões serviram para muita coisa.

O Libolo está em fase de renovação,  a entrada do técnico Vaz Pinto está a provar que o crescimento da equipa está ser lento e progressivo. Um triunfo sobre o 1º de Maio é bom,  aumenta a auto-estima, porque a equipa precisa de triunfos para  tornar-se mais confiante, no muito que ainda falta disputar no campeonato nacional.

Os proletários entraram no Girabola ZAP 2017 com os mesmos maus hábitos, da época transacta. A penúltima posição, do histórico bicampeão nacional, já fez disparar o alarme em Benguela.

A equipa da Rua Domingos do Ò tem  a obrigação de fazer ouvir a sua voz na prova, mas parece pouco provável que tenha esta tarde estofo competitivo para surpreender em Calulo, nem que seja um empate.A campanha do Progresso da Lunda Sul, no campeonato, está longe de levar o mais optimista a acreditar que a equipa consiga repetir os feitos de 2015, e 2016. O técnico Paulo Figueiredo está longe de bisar, no banco de suplentes, os desempenhos do seu tempo de jogador, e para piorar, esta tarde, os seus pupilos têm a ingrata missão de lavar a cara, contra o candidato Petro de Luanda. O jogo tem início marcado para as 15h00, no Estádio das Mangueiras.

Os tricolores regressam a Saurimo, forçados a corrigir o histórico empate, o mesmo, que procurar a agulha em palheiro. O objectivo é não  deixar apanhar, depois de estar a vencer por 2-0, na época finda. A realidade esta tarde pode ser escrita de maneira diferente, se o Petro de Luanda for capaz de controlar melhor os momentos do jogo. Ter melhor plantel é uma vantagem, e usá-lo para derrotar um adversário aflito, exige uma exibição a campeão.

Quer o Progresso quer o Petro vão às Mangueiras, com a mesma obrigação de vencer, embora, por razões diferentes.

A pressão aparenta estar mais do lado dos donos da casa, realmente, Paulo Figueiredo e atletas precisam com urgência de uma vitória estrondosa no campeonato. Um triunfo sobre o campeão dos campeões, é capaz de mudar a imagem do Progresso no campeonato.