Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo em busca de ascenso

Val?dia Kambata - 20 de Julho, 2017

Libolo tem capacidade suficiente para vencer a partida.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico do Interclube garantiu ontem ao Jornal dos Desportos, que a sua equipa está em prontidão para o regresso às vitórias, e manter a filosofia de não perder em casa. Para recepção esta tarde ao Recreativo do Libolo a contar para a 20ª jornada, às 15h30 no Estádio 22 de Junho, os polícias definiram como objectivo os três pontos.

Paulo Torres garante que os níveis de motivação estão em alta, apesar de reconhecer o potencial e a pretensão do adversário, formação difícil e capaz de surpreender os seus opositores.

\" É um jogo com uma equipa que está a fazer uma temporada extraordinária, incluído a competição africana. A jogarmos em casa, vamos fazer tudo para conseguir um bom resultado\", augura o treinador da equipa do Rocha Pinto.

Quanto ao trabalho feito para este jogo, o técnico assumiu que a equipa  está preparada para fazer o melhor e acredita que com menor ou maior dificuldade, cumpra com o trabalha de casa.

\"Trabalhamos bastante nos últimos dias, e acredito que temos todos os argumentos para vencer. Queremos fazer bons jogos em casa e acalentar esperança de mantermos vivos os nossos objectivos,  aliando as boas exibições às vitórias\", salientou.

Paulo Torres reiterou que o Estádio 22 de Junho está a ser abençoada esta época, e espera manter bons resultados em casa. \"Temos sido uma equipa com alguma segurança, desde o inicio do Campeonato, coisa que já não acontecia nos últimos anos neste clube, o que é bom para a auto - estima do grupo. Agora, não vamos nos desviar da nossa ideia, nem do que é o nosso trabalho, até ao fim\", destacou. 

 O facto de não vencer o jogo passado diante do Santa Rita de Cássia, último classificado do campeonato nacional, não abalou a estrutura mental dos polícias. O técnico afirmou que aproveitou o resultado para alertar aos atletas sobre a necessidade de encararem todos os jogos com a mesma entrega e determinação.

\"Estamos tranquilos e certos do trabalho que estamos a fazer, para alcançarmos os nossos objectivos no campeonato nacional, embora, as coisas neste momento se afigurem complicadas\", sublinhou.

Para o embate com o Recreativo do Libolo, a equipa técnica do Interclube  dedicou uma atenção especial à finalização, e insistiu com os atletas com incidência aos atacantes, sobre a necessidade de redobrarem a concentração nos momentos cruciais da partida.

Paulo Torres pretende a equipa mais apurada no ataque, e esta pretensão ficou patente no treino, com destaque para os pontas -de -lança, Rashid, Richard e Moco. 

O estado anímico do grupo de trabalho é positivo, a julgar pelo que observamos ontem durante a última sessão, no campo 22 de Junho, onde a equipa acertou os últimos detalhes para o embate desta tarde com a equipa de Calulo.

Com uma ou outra alteração, Paulo Torres pode optar pelo seguinte onze inicial: Jotabé - Filipe,  Fabrício, Baca e Duarte - Pirolito, Lindala, Karanga,  Mano Calesso, Dasfaa, Moco ou Richard.


“Queremos contrariar o adversário”

Com as atenções centradas na competição nacional, enquanto aguarda pelo veredicto da CAF sobre a continuidade ou não na Taça da Confederação, o técnico do Recreativo do Libolo, Carlos Vaz Pinto, antevê um jogo difícil com o Interclube.

Em declarações à Angop, em Calulo no final do último treino, o técnico adiantou que vai ser um jogo difícil para as duas equipas, disse acreditar que o Libolo tem capacidade suficiente para vencer a partida.

 “Trabalhamos para contrapor a estratégia do adversário, por isso, estamos motivados na conquista de mais três pontos, apesar de jogarmos em casa do adversário, um estádio sempre difícil para qualquer equipa”, disse.

Uma eventual vitória da equipa de Calulo, coloca um ponto final na invencibilidade dos polícias esta época, no Rocha Pinto, um adicional que motiva a equipa orientada por Vaz Pinto.

Quanto à saída dos quatro jogadores, Edy Afonso, Ricardo Baptista, Cabibi e Hélio Roque, afirmou que a equipa mantém a estrutura, mas foi reforçada com a entrada de Boka (ex -Caála), Chara (ex -Petro) e  Figo que vão dar outra dinâmica ao grupo.

“Saíram alguns jogadores e entraram outros, mais importante é que a equipa não perdeu a estrutura. Isto, é que o mais interessa”, reforçou o treinador da equipa detentora de quatro títulos, no campeonato nacional.