Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Girabola

Libolo realiza maratona de jogos

Betumeliano Ferr?o - 19 de Julho, 2017

Recreativo do Libolo, e Interclube

Fotografia: Nuno Flash| Edies Novembro

O Recreativo do Libolo desloca-se amanhã ao Estádio 22 de Junho, para a partir das 15h00 tentar somar os três pontos em disputa, que a acontecer pode condicionar ainda mais a posição do Interclube, cujo anúncio de candidatura ao título continua sem suporte de bons resultados, como é evidente pela comprometedora classificação, a 11ª. posição.

Expectante quanto ao futuro nas afrotaças, a equipa de Calulo tenta concentrar-se no que depende de si, e obter o melhor resultado possível esta tarde. Os libolenses necessitam de vitórias e pontos, para manterem os objectivos traçados para o campeonato, e os três pontos são importantes para recuperar o atraso pontual em relação aos concorrentes directos na luta pela conquista do Girabola Zap 2017.

O Libolo bate-se para estabelecer prioridades, isto é, ser competitivo em simultâneo no campeonato nacional e na Taça da Confederação, fardo adicional que a formação orientada por Vaz Pinto tem de carregar para chegar à glória.

A equipa mal competiu nesta etapa derradeira da prova, e o jogo vai ser a segunda aparição, pelo que o Libolo está com a obrigação de também começar a somar e seguir na competição interna. Se vencer todos os jogos em atraso, a partir de hoje vão faltar três pontos, e reacende a esperança de terminar o Girabola ZAP nos lugares cimeiros.

O Interclube está aquém de corresponder às expectativas, e o fracasso na corrida pelo título já é facto consumado, por isso, só resta aos polícias terminarem a competição com dignidade. Para isso, é condição indispensável ganhar o máximo de jogos possíveis, de preferência com equipas equivalentes, nos objectivos como o Recreativo do Libolo.

Sem muito em que se apegar, resta a equipa do Rocha Pinto renovar a atitude competitiva, para  provar mesmo para si, que o fracasso da temporada nada tem a ver com a falta de qualidade no plantel. A regularidade sempre foi o grande problema, e é possível que a equipa esteja à espreita de uma oportunidade, para escrever uma nova história, quem sabe se já a partir deste jogo.

A sorte final dos polícias no Girabola ZAP é quase uma certeza, mas isso de modo algum, significa que a obrigação de vencer diminuiu. O lado emocional também é um obstáculo, com o qual o Interclube vai ter de conviver, sobretudo diante de adversários competitivos como o Libolo, cuja qualidade individual e colectiva força sempre o oponente a dar o melhor de si, durante os 90 minutos.